Em meio a atraso e expectativa, imbróglio da Arena da Ilha parece ter chegado ao fim

Após muita expectativa, atrasos e especulações, o Flamengo deve estrear no Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, no próximo dia 14, quando recebe a Ponte Preta, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. A epopeia da Arena da Ilha teve os últimos capítulos nesta semana, quando o Rubro-Negro recebeu o aval da CBF para utilizar o estádio, mas não no clássico contra o Botafogo, no próximo domingo, porque os laudos necessários não foram enviados dentro do prazo.

Estima-se que o Flamengo tenha investido, pelo menos, R$ 12 milhões nas obras do Luso-Brasileiro. A expectativa de negociar os naming rights do estádio, sonhada no início do ano, ainda não decolou.

Extraoficialmente, há quem acredite que a demora para a liberação dos laudos necessários para a utilização do estádio tenha sido uma forma de pressionar o Rubro-Negro a mandar mais jogos no Maracanã. Como é de conhecimento geral, o futuro do Templo do Futebol segue incerto.

O Flamengo tinha a ideia de fazer um treino aberto ou um amistoso antes de mandar uma partida oficial no estádio. No entanto, isso vai depender da disponibilidade de datas. Um evento com sócios também foi especulado.

O LANCE! procurou o clube para conseguir uma explicação sobre o motivo do atraso nas obras. A reportagem não obteve resposta, e o Flamengo informou que deve se posicionar oficialmente em breve.

LUSA APROVA E AGUARDA POR JOGO DO FLAMENGO

Apesar de ser dona do estádio, a Portuguesa terá de aguardar a estreia do Flamengo no Luso-Brasileiro para voltar a jogar por lá. A informação foi divulgada pelo presidente da Lusa, João Rêgo, ao LANCE!. No entanto, isso não parece preocupar o dirigente. Ele elogia a estrutura montada na Ilha.

- Está bonito e seguro. Não é mais feito como estava, foi feito com um bom alicerce - disse o mandatário da Lusa.

A Portuguesa disputa atualmente a Série D do Campeonato Brasileiro e esperava mandar o jogo contra o Itumbiara, no próximo dia 10, no Luso-Brasileiro. Mesmo sem o seu estádio, a Lusa vive boa fase e lidera o Grupo 12 da quarta divisão nacional, com seis pontos. Como mandante, a Portuguesa jogou em Moça Bonita.

RELEMBRE ESPERA E IMPREVISTOS

O Flamengo assumiu a gestão do estádio no dia 1° de janeiro. No dia seguinte, o vice-presidente de patrimônio do Flamengo, Alexandre Wrobel, disse que os trabalhos estavam 'a todo vapor'.

Internamente - sem posição oficial -, o clube sonhava em jogar pela primeira vez na Ilha ainda no dia 8 de março, contra o San Lorenzo, pela primeira partida da fase de grupos da Libertadores. Contudo, a esperada estreia se arrastou com o passar do tempo. Em abril, houve novamente esperança de que o Rubro-Negro jogasse naquele palco, contra o Atlético-PR, pela Libertadores, o que também não foi possível.

A descoberta de uma cratera entre os setores Norte e Leste das arquibancadas, ainda em abril, atrasou ainda mais os planos do Flamengo. Na época, houve troca de acusações entre o Rubro-Negro e o Botafogo, antigo locatário do estádio. O clube da Gávea informou que havia um problema na tubulação, mas que era antigo e público.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello chegou a afirmar que o Flamengo mandaria o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG, na Ilha, no dia 10 de maio, mas isso não ocorreu.

- Vai ser na Ilha, estamos aguardando apenas detalhes burocráticos, mas como nós estamos fazendo a obra e sabemos que está tudo certo, temos a confiança que o jogo vai ser confirmado lá para a Ilha do Governador - disse o mandatário à Fox Sports, uma semana antes do jogo.

Em maio, os problemas foram na esfera burocrática. O Flamengo ficou irritado com a demora na liberação dos laudos necessários para utilizar o estádio. Agora, enfim, a estrutura está liberada para uso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos