Novo esquema e reforços levaram a Juventus à decisão da Champions

A cidade de Cardiff, capital do País de Gales, vai ferver neste sábado, às 15h45 (de Brasília), na final da Liga dos Campeões entre Juventus e Real Madrid. A equipe italiana volta à decisão após ter sido vice em 2014/15, perdendo para o Barcelona. Já os Merengues têm no currículo 12 títulos da competições, dois deles nos últimos três anos, ambos sobre o rival Atlético de Madrid.

Os dois times fizeram excelente temporada até aqui, conquistando os seus respectivos campeonatos nacionais. O duelo promete ser equilibrado até o último minuto e vai tirar o fôlego dos torcedores. Em quem você aposta? Veja aqui o que fez a Juventus fez nesta temporada.

A Juventus começou a temporada 2016/17 com o pentacampeonato italiano nas costas e o favoritismo acima da média no Calcio. E se reforçou bem para seguir como protagonista em seu país e enfraqueceu os rivais em suas contratações. De quebra, montou um elenco forte para também alçar voos maiores, além da Terra da Bota.

Massimiliano Allegri conhece bem o seu elenco e sabe tirar o máximo de seus jogadores. Tanto que a Juventus fez contratações pontuais, fortalecendo o já robusto time.

REFORÇOS E BAIXAS NO ELENCO

E não foram poucas mudanças no elenco. O meia Paul Pogba deixou o clube e acertou com o Manchester United por 105 milhões de euros (R$ 383 milhões), a maior contratação da história. Outro importante desfalque foi Álvaro Morata, que retornou ao Real Madrid. Nomes de menos impacto como Pereyra, Isla, Zaza e Cáceres também saíram. Hernanes, por sua vez, foi negociado com o futebol chinês somente na janela de janeiro.

Por outro lado, os reforços chegaram em peso. Para o lugar de Pogba, a Juventus contratou Pjanic, ex-Roma. Lemina e Rincón (no meio da temporada) foram outros meio-campistas que desembarcaram em Turim.

No ataque, Morata teve um sucessor à altura. Nada menos que Gonzalo Higuaín, artilheiro do Napoli e que custou 90 milhões de euros (R$ 328 milhões). Quem também reforçou o setor foi o jovem Pjaca.

Para o sistema defensivo, a Juventus foi a Munique e pegou Benatia, emprestado pelo Bayern. De Barcelona, chegou um dos principais reforços: Daniel Alves, que vem comendo a bola pelo time italiano.

ESQUEMA MUDOU AO LONGO DA TEMPORADA

A Juventus demorou algumas rodadas para se acertar com os novos jogadores e suprir as baixas. Allegri foi alternando jogadores, testando formações para chegar na ideal. No início, Daniel Alves, com vocação bastante ofensiva desde os tempos de Barcelona, ficava um pouco mais preso e revezava com Lichtsteiner na posição.

Como de costume, o trio de ferro na zaga, formado por Barzagli, Bonucci e Chiellini, mantinha-se consistente. No entanto, Allegri passou a testar a Juventus no 4-4-2, deixando um dos homens de confiança da defesa no banco (em algumas ocasiões, havia alguém lesionado).

Aos poucos, Allegri migrou de sistema e a Juventus seguiu bem no Campeonato Italiano e avançando na Liga dos Campeões. Do meio para frente, mais mudanças: Mandzukic, que era o reserva imediato de Higuaín, passou a ser testado no meio de campo, ao lado de Dybala e Cuadrado. O meia Pjanic foi recuado para volante, atuando ao lado de Khedira.

Assim, Allegri 'inovou', tirou os tradicionais três zagueiros e apostou em um esquema com três atacantes de ofício, incomum para a Juventus e no futebol italiano. O resultado saiu melhor que a encomenda. A Velha Senhora não sofreu para faturar o hexacampeonato do Calcio, eliminou times como Porto, Barcelona (sem sofrer gols em ambos) e Monaco para chegar na final da Liga dos Campeões. De quebra, ainda faturou a Copa da Itália, batendo a Lazio na decisão.

ELENCO RECHEADO, PORÉM...

Por ter se acostumado a jogar com três zagueiros, a Juventus tem bastante jogadores na posição. Além dos titulares incontestáveis Bonucci e Chiellini, Barzagli (que vez por outra atua na lateral), Rugani e Benatia completam o setor. Como de praxe, é o ponto forte da equipe, com apenas três gols sofridos em toda a Liga dos Campeões e que conta com o inesgotável Buffon. Na temporada, a Velha Senhora levou apenas 38 gols em 56 partidas.

No entanto, na outra ponta do campo, a história não se repete. A Juventus não tem nomes em quantidade e qualidade para substituir os homens de frente. Dybala e Higuaín, principalmente, não têm reservas à altura. Mandzukic vem atuando pela esquerda do meio de campo e poderia ser a opção imediata quando o camisa 9 não atua.

DIANTE DO REAL MADRID

Como vem ocorrendo nos últimos meses, a Juventus não vai entrar com três zagueiros. Barzagli deve ocupar a lateral-direita, mas sem avançar muito ao ataque, dando liberdade para Daniel Alves como um dos homens no meio, ao lado de Dybala e Mandzukic, com Higuaín como referência.

Buffon será o titular no gol, passando toda a confiança e qualidade ao time. O goleiro, de 39 anos, busca seu primeiro título da Liga dos Campeões. À sua frente, além de Barzagli, Bonucci, Chiellini e Alex Sandro completam a defesa.

Pjanic está confirmado como titular e deve ter Marchisio ao seu lado se Khedira não se recuperar de problema muscular. O bósnio vem dando conta do recado atuando mais recuado, como volante, mas sem deixar de lado a qualidade nas assistências.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos