Léo esclarece confusão em Chapecó e se defende sobre mal entendido

  • Washington Alves / Cruzeiro

A confusão na Arena Condá ainda reflete na Toca da Raposa. Na volta do Cruzeiro a Belo Horizonte, o zagueiro Léo concedeu entrevista coletiva e fez questão de esclarecer o incidente em Chapecó. O defensor ainda se defendeu dizendo que não teve nada a ver com o início da confusão.

"Eu estava no campo, cumprimentando os companheiros e também o Vágner Mancini. Fui sorteado para o dopping, cheguei depois de ter acontecido a confusão. Não sei de onde ela se originou, de onde veio. Quando cheguei, já estava acontecendo. Da nossa parte, dos jogadores, não tem absolutamente nada. Metade do time da Chapecoense a gente conhece ou jogou junto. Outros têm contrato aqui com o Cruzeiro. É o clima mais amigável possível. A gente se respeita mutuamente, respeita a Chapecoense. Não comecei nenhuma confusão, como foi citado em alguns lugares. Não tenho esse perfil. Todos que me conhecem sabem do meu caráter, dos meus princípios de paz, união, compaixão. Sempre falo, prego e compartilho sobre isso", comentou o zagueiro.

Léo também disse ter conversado com Vagner Mancini, seu comandante nos tempos de Cruzeiro e Grêmio.

"Saiu em outros lugares também que o Mancini tinha falado que eu quem tinha começado. Mas não tem nada disso. Tenho uma relação muito boa com o Mancini, ele já foi meu treinador no Grêmio e aqui no Cruzeiro. A gente até tava conversando sobre isso no final do jogo, amigavelmente, tranquilos. Não agredi ninguém, não fiz nada com ninguém, não bati boca com ninguém. A gente tenta apaziguar sempre da melhor maneira possível para que o clima de futebol, do esporte, sempre prevaleça", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos