Vaivém dos laterais: Timão mantém Arana, mas fica longe de ter Cicinho

O Corinthians está levando a sério seu projeto de manter os titulares do título do Campeonato Paulista até o fim do ano e rejeitou uma oferta do Ajax (HOL) pelo lateral-esquerdo Guilherme Arana. Os europeus não toparam pagar o mínimo exigido pelo Timão, que se protege por multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 180 milhões, aproximadamente) e bateu o pé sobre a liberação.

Além do Ajax, Sevilla (ESP) e Inter de Milão (ITA) também têm observado o lateral do Corinthians, mas até o momento não apresentaram propostas formais. Ao Esporte Interativo, o diretor de futebol Flávio Adauto se manifestou sobre duas ofertas de clubes internacionais a Guilherme Arana, mas reforçou que "só um milagre para sair alguém esse ano". O Timão possui 40% dos direitos econômicos do jogador e o restante está dividido entre empresários.

Enquanto protege os jogadores integrados atualmente a seu elenco, o Corinthians tenta acertar novas contratações, mas enfrenta resistência. Antes dada como certa por clube e representantes, a chegada do lateral-direito Cicinho tornou-se improvável no Parque São Jorge. O Timão pleiteava um empresário gratuito de seis meses ou um ano do Ludogorets (BUL), mas o clube europeu exigiu pagamento de compensação, o que não estava nos planos dos brasileiros.

Mesmo com representante na Bulgária há quase duas semanas, Cicinho ainda não obteve a liberação e a expectativa de acerto com o Corinthians diminuiu consideravelmente. Nesta sexta-feira, uma reunião considerada importante terminou sem desfecho positivo, o que fez o clube brasileiro já iniciar a procura de alternativas para o setor.

Além de um lateral-direito, o Corinthians busca um zagueiro (Leandro Castán, da Roma, é a bola da vez), um meia e até um atacante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos