Ceni crê que empate seria mais justo e vê caso Cueva como 'infelicidade'

Rogério Ceni deixou o estádio Moisés Lucarelli acreditando que o São Paulo fez o suficiente para, ao menos, somar algum ponto em Campinas. O técnico avalia que o desempenho de seu time foi superior ao que o placar da derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta mostra e não fez crítica nem ao departamento médico, responsável por indicar uma substância proibida a Cueva.

O desfalque do peruano foi o primeiro problema do treinador para a partida deste domingo. No sábado, os médicos do clube informaram que o peruano usou, por indicação deles, um spray para tratar dores no pé que poderia ser indicado como doping. Por precaução, o camisa 10 ficou fora do jogo.

- É uma infelicidade. Raramente acontece, mas, infelizmente, aconteceu. Ele foi avisado no meio do treino de ontem (sábado) - limitou-se a dizer Ceni, que foi obrigado a escalar Thomaz, mais lento do que Cueva, mantendo a formação no 3-4-2-1 que tinha treinado ao longo da semana.

Em campo, o São Paulo não mostrou força para se recuperar do gol marcado por Lucca, aos cinco minutos do segundo tempo. Mas Rogério Ceni se apegou à pressão final, com cruzamentos na área que pouco se transformaram em finalizações, para apontar que seria mais justo um resultado melhor para o Tricolor.

- Foi um jogo bem equilibrado. No primeiro tempo, as equipes se estudaram, com a Ponte com mais posse de bola e a gente contra-atacando bem, com as melhores chances. No segundo tempo, saiu o gol cedo. Mexemos na equipe como podíamos, criamos, mas a Ponte se defendeu bem. No mínimo, poderíamos ter levado um ponto. Foi uma pena não termos empatado.

Confira como foi a entrevista de Rogério Ceni:

Análise do jogo

"Foi um jogo bem equilibrado, bem disputado. No primeiro tempo, as equipes se estudaram um pouco mais, com a Ponte com mais posse de bola e a gente contra-atacando bem, com as melhores oportunidades. No segundo tempo, saio o gol cedo. Mas nenhum dos dois goleiros precisou trabalhar com grandes defesas, só chutes de longa distância. No mínimo, poderíamos ter levado um ponto daqui"

Críticas à queda física do time

"Três dos quatros gols nosso time no Brasileiro foram no segundo tempo. O segundo contra o Palmeiras foi em um contra-ataque aos 38 minutos do segundo tempo. Mas, quando você ganha. ninguém enaltece. Quando perde, é natural que alguém enxergue"

Substituições após o gol

"Esprememos o adversário, colocamos todos os quatro atacantes que tínhamos, fizemos linha de três zagueiros porque a Ponte ainda estava com três atacantes, colocamos o Bruno para ajudar, porque o Marcinho cansou. O Pratto virou camisa 10 com a entrada de Gilberto. Fizemos tudo dentro do possível e criamos, o Luiz Araújo fez bons cruzamentos. Mas a Ponte se defendeu bem. É uma pena não termos empatado"

Maicosuel

"Sobre contratá-lo ou não, não posso falar nada. Posso dizer que gosto dele como atleta. É um jogador que me agrada bastante"

Caso Cueva

"É uma infelicidade. Raramente acontece, mas, infelizmente, aconteceu. Ele foi avisado no meio do treino de ontem"

Luiz Araújo negociado

"Pelo que sei, foi negociado e vai embora nessa semana, não sei se quarta, quinta, terça... Ele tem uma cabeça boa, tenho certeza que fez o melhor que pôde hoje. A partida que fez não depende da situação dele. Mas, se foi vendido, o ideal é seguir o caminho dele e a gente se programar para repor a sua saída"

Proposta por Pratto

"Desconheço qualquer proposta do México. Em nenhum momento isso foi cogitado no São Paulo"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos