'Eu sou Millwall', disse torcedor que foi herói durante ataque terrorista

Nesta terça-feira, os principais jornais da Inglaterra publicaram uma história curiosa sobre a noite do atentado terrorista em Londres, no último final de semana. O relato envolve um torcedor do Millwall, clube que tem uma das torcidas mais violentas do Reino Unido.

Roy Larner, de 47 anos, estava tomando cerveja com amigos em um pub chamado Black & Blue quando os terroristas invadiram o local com facas. Indignado com o que estava acontecendo, ele partiu para cima dos homens na tentativa de evitar um massacre. O homem acabou atingido no peito, nuca e costas.

- Eles estavam armados com longas facas e começaram a gritar: 'Alá, Alá, Alá'. Depois, gritaram 'Islã, Islã, Islã'. E eu gritei de volta para eles. Dei alguns passos à frente e berrei: 'Danem-se vocês, eu sou Millwall! Foi aí que eles começaram a me atacar - disse Larner.

Larner acabou sendo esfaqueado oito vezes, mas insistiu na briga. No final, os três criminosos acabaram mortos com tiros dos policiais e o torcedor foi hospitalizado. No dia seguinte, ele acabou ganhando o apelido de "Leão da London Birdge", se referindo ao mascote do Millwall.

- Eu estava sozinho contra todos eles, por isso me machuquei bastante. Fui esfaqueado e cortado. Me acertaram na cabeça, no peito e nas duas mãos. O sangue es espalhou por todo lugar. E eu gritava: "F...-se vocês, eu sou Millwall" - contou ao jornal "The Sun".

Os familiares e amigos do torcedor criaram um "crowdfunding" para financiar seu tratamento no hospital. Eles pediram inicialmente 500 libras, porém, torcedores do clube londrino contribuíram e a quantia já chega a quase 15 mil libras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos