UFC? Zagueiro leva 'nocaute', sai de ambulância e técnico pede fair play

O empate entre Fluminense e Atlético-PR foi um resultado ruim para os dois na tabela do Brasileirão. Pior ainda para o zagueiro Wanderson, do Furacão, que sofreu pancada forte no rosto e teve que sair do Maracanã de ambulância, direto ao hospital. Em disputa pelo alto, o lateral Renato tentou uma bicicleta e acertou em cheio o adversário. Confira o vídeo abaixo:

Após o apito final, o lateral tricolor pediu desculpas ao companheiro de profissão e disse que a bola estava em jogo.

- Infelizmente, pegou na boca dele. A bola subiu. Se ela subiu, estava em jogo. Peço desculpas a ele. É de jogo, infelizmente aconteceu. Era uma jogada normal - disse o jogador na saída de campo e teve o discurso reforçado por Abel.

- Não teve intenção nenhuma. Jogo estava 1 a 1. Eu não daria a bicicleta, mas também não metia a cabeça. Ia estar junto. Não daria para não fazer uma falta ofensiva. Ele estava de costas, não viu. O juiz deu amarelo foi acertado. Já falei, acho que a arbitragem foi muito boa, isenta e criteriosa para os dois lados - disse Abelão na coletiva pós-jogo.

Quem não gostou do lance foi Eduardo Baptista, novo treinador do Atlético-PR. O comandante rubro-negro comparou o lance com entradas do UFC e pediu fair play ao juiz, já que havia feito três substituições e ficou com um a menos em campo por quase 15 minutos.

- Lance foi pesado. É um nocaute de UFC. Já não tínhamos alteração, sofremos falta e ficamos com um a menos. Faltou critério, faltou fair play. O juiz tinha que ter mais fair play, a gente pede para todos menos ao árbitro. O vídeo é assustador - disse Eduardo Baptista, exaltado.

Apesar da imagem forte, o zagueiro Wanderson não corre riscos. Ele foi encaminhado ao hospital para exames com forte pancada no maxilar, mas passa bem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos