Ceni defende estratégia e diz que São Paulo teve muitos 'erros primários'

Rógerio Ceni considerou que muitos "erros primários" custaram ao São Paulo um melhor resultado na derrota para o Corinthians, neste domingo, em Itaquera. Sem tratar de falhas individuais, o comandante explicou a decisão de jogar com três zagueiros (Lucão, Maicon e Douglas) e viu sua equipe em alguns momentos controlar bem o Majestoso.

- Fizemos uma formação com três zagueiros, dois alas e três homens no meio-campo para bloquear toda e qualquer ação dos Corinthians. Para mim, o principal jogador do Corinthians é o Jô, então tínhamos de proteger bem a defesa para jogadas nele. Sabíamos que era torcida única, com 40 mil pessoas, o Corinthians ia atacar. Pensamos em defender bem, para nos contra-ataques e bolas paradas fazer o gol. Logo tomamos um gol por falta de pressão no Jadson (a assistência foi de Marquinhos Gabriel), que achou o passe ao Romero. Tínhamos o jogo bem controlado, e aí erramos a saída. Cometemos muitos erros primários para quem quer vencer um clássico - analisou o técnico.

Do trio de defesa, a surpresa foi a entrada de Douglas, que não jogava desde o fim de março. Sua entrada se deu também como uma forma de conter Jô, neste caso em jogadas pelo alto. Ceni também considera que neste quesito a opção tricolor chegou a funcionar, mesmo que tenha sido do zagueiro o pênalti que resultou no terceiro gol.

- A escolha do Douglas se deu porque o Corinthians ataca muito pelo lado do Arana e o Jô procura o segundo pau. Era quem eu tinha para disputar esta bola alçada com o Jô. O lado mais forte de ataque, sem o Fagner, é o Arana. O Romero joga naquele lado, eles fazem boas triangulações e colocam bolas no segundo pau. O jogador mais similar às características do Jô era o Douglas tanto é que o Jô não levou vantagem neste tipo de jogadas. Por isso a escolha do Douglas no dia de hoje - acrescentou.

Ainda sem vencer como visitante no Brasileirão, o São Paulo parou nos nove pontos e perdeu a chance de entrar no G4 do Brasileirão. O Corinthians, enquanto isso, segue líder agora com 16. Com direito a elogios sobre o rival, o técnico tricolor considera que a confiança é um diferencial no time comandado por Fábio Carille.

- O adversário é muito bom, muito bem treinado e tem uma coisa chave: confiança. Você vai ganhando confiança com vitórias, mas eles são muito bem entrosados, mesmo sem o Fagner o Paulo foi bem na lateral direita. É um time bem competitivo e nosso time também foi. Só erramos mais que o Corinthians. O jogo foi 3 a 2, mostra que conseguimos chegar no gol do Corinthians, o Corinthians também chegou ao nosso gol, mas cometemos mais erros que o Corinthians. Talvez tenha sido isso esse o motivo (do resultado) - encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos