De anônimo a especial: Vitor Hugo dá o seu 'até breve' ao Palmeiras

Acabou nesta segunda-feira a trajetória de Vitor Hugo pelo Palmeiras. Vendido à Fiorentina (ITA) e fora do time desde a derrota por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann (BOL), na Bolívia, em 13 de maio, o zagueiro foi chamado pelo clube para dar uma entrevista coletiva de despedida na Academia de Futebol. E, como se tornou comum nos últimos dois anos e meio, ele deu um show de bom humor.

- Depois de quinze horas de viagem os caras já me pegaram no aeroporto, não consegui raciocinar o italiano que eu estou estudando. Os repórteres começaram a me pressionar, pressionar, e eu pensei: "deixa eu sair daqui logo". Inventei um "tamo runto" lá. Foi invenção mesmo (risos) - brincou o jogador, ao falar sobre sua primeira entrevista em italiano, quando foi à Europa para assinar contrato.

Vitor Hugo chegou ao Palmeiras em janeiro de 2015, em meio à imensa reformulação conduzida pelo diretor de futebol Alexandre Mattos. Destaque do América-MG, ele foi contrato por empréstimo, como uma aposta, e era praticamente um anônimo em seus primeiros dias de clube.

- Você vê como é a vida. Eu cheguei aqui anônimo. Na primeira reunião do professor Oswaldo (de Oliveira) com o grupo, ele foi falando o nome dos jogadores e perguntou: "esqueci alguém?". Aí eu disse: "eu, Vitor Hugo". Ele perguntou: "Ah, o que veio do América?". "Eu mesmo, fiz gol lá e tudo" (risos). O professor Oswaldo me ajudou muito. E agora essa despedida aqui, né? Dois anos e meio depois, esse monte de repórter aqui para dar tchau para o Vitão. É massa. Eu só não choro porque não sou tão emocional assim - lembrou Vitor, que já havia sido homenageado pelo Verdão com um vídeo.

- Fico feliz demais por ter esse reconhecimento. Isso acontece com pessoas especiais, e eu estou me sentindo muito especial aqui no clube. Fizeram um vídeo para mim, já está no Youtube. Quem estiver disponível dá uma olhada lá porque ficou muito massa - emendou.

O Palmeiras pediu ajuda à Crefisa e pagou 1,5 milhão de euros por 50% dos direitos econômicos de Vitor Hugo ainda em 2015. A venda para a Fiorentina saiu por 8 milhões de euros (cerca de R$ 30 milhões), dos quais o clube ficou com 4,5 milhões de euros (cerca de R$ 17 milhões). Parte do valor foi utilizado na compra de Juninho, do Coritiba, um substituto para o zagueiro-artilheiro.

- Fui muito feliz aqui e consegui cumprir o que me propus a fazer em 2015: nosso lema era resgatar o orgulho do palmeirense de vestir a camisa, porque 2014 não estava muito legal. Saio daqui com o sentimento de dever cumprido. Chega a ser gostoso você sair de carro e ver o palmeirense com a camisa na rua, todo sorridente - disse Vitor Hugo, autor de 13 gols em 131 jogos e detentor dos títulos da Copa do Brasil de 2015 e do Brasileiro de 2016 pelo clube, para onde ele deseja voltar um dia:

- A Fiorentina é um clube gigante na região da Toscana. A gente parava em lojas e começava a chegar gente para tirar foto comigo. Eu não sabia nem falar "pode tirar". É tudo diferente. Meu plano é jogar lá, ser reconhecido lá, mostrar um bom futebol, e depois seguir meu caminho, se Deus abençoar chegar em um dos gigantes e voltar para cá, para o Verdão, para a minha terra.

- Não tenho muito o que falar, só agradecer a Deus e ao Palmeiras pela oportunidade que me deram e agora dizer um "até breve".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos