Romero em boa fase no Corinthians? Tudo começou com Mano Menezes

  • Daniel Vorley/AGIF

Ángel Romero não é unanimidade, mas conquistou de vez o respeito da torcida do Corinthians, especialmente por conta do desempenho em 2017. Além de campeão paulista como titular, abriu cinco gols de vantagem na artilharia da Arena Corinthians, tem protagonizado lances de entrega e bom cumprimento de suas funções táticas e é um titular cada vez mais firme da equipe de Fábio Carille. De personalidade forte e em voto de silêncio contra a imprensa, Romero nem parece o garoto tímido que chegou ao clube em 2014. E que cresceu muito por conta da ação de Mano Menezes e sua comissão técnica.

Destaque do Cerro Porteño (PAR), Romero chegou ao Corinthians em julho de 2014, durante a pausa da Copa do Mundo e quando o clube fazia pré-temporada na cidade mineira de Extrema. Sob o comando de Mano, o jovem paraguaio desenvolveu fatores importantes em sua consolidação no futebol brasileiro - e que até hoje fazem diferença. Nesta quarta-feira, pela sétima rodada do Brasileirão, o camisa 11 encontrará na Arena Corinthians alguns de seus mentores que agora trabalham no Cruzeiro.

Um dos personagens importantes na caminhada de Romero no país é Eduardo Silva, preparador físico da comissão de Mano. O profissional fez um estudo detalhado sobre os hábitos do paraguaio e montou um cronograma específico para que ele se adaptasse ao que era feito no Corinthians naquele momento. O preparador também orientou Romero a se comunicar mais com os profissionais do clube, deixando a timidez de lado para relatar problemas com treinamentos e até dores.

Com Mano e Sidnei Lobo, a preocupação foi o aspecto técnico. Romero estreou em 6 de julho de 2014, em amistoso contra o Uberaba. De pivô no futebol paraguaio, o reforço corintiano passou a trabalhar por trás da linha de defesa, abrindo marcação, e também de lado, com penetrações. A adaptação foi considerada rápida, e Romero chegou a atuar em 27 partidas com Mano. "Quando o jogador tem qualidade, sabemos que o restante vem com mais naturalidade", chegou a dizer o então técnico do Corinthians, na época.

O bom início de Romero foi um dos fatores que fez Mano Menezes liberar Romarinho, por exemplo. E a facilidade de adaptação fez o paraguaio virar primeiro reserva de Guerrero como centroavante. Em disputa constante por posição com Luciano, o paraguaio só "sumiu" graças à ascensão de Malcom, e conseguiu recuperar espaço somente no ano passado.

Hoje são 131 partidas e 25 gols marcados, sendo 20 na Arena Corinthians, estádio em que é o maior goleador da história. Ele é um dos jogadores que mais sofrem faltas no Campeonato Brasileiro e também é o terceiro em desarmes do Timão no torneio, atrás somente de Fagner e Gabriel. E tudo isso (também) graças a Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos