Alemanha encara o Chile em jogo que vale a liderança do Grupo B

Alemanha e Chile fazem nesta quinta-feira, às 15h (de Brasília), um dos jogos mais aguardados desta primeira fase da Copa das Confederações. As duas seleções lideram o Grupo B, após vencerem na estreia da competição. Agora, medem forças em Kazan, em duelo que vale a liderança da chave.

Ambas as equipes têm três pontos no Grupo B, mas o Chile leva vantagem sobre a Alemanha no saldo de gols: 2 a 1. Camarões e Austrália, que também se enfrentam nesta quinta-feira, às 12h, em São Petersburgo, ainda não pontuaram.

O técnico da Alemanha deve promover mais mudanças na escalação, como foi anunciado em entrevista coletiva. A intenção de Joachim Löw é testar vários jogadores, para que eles ganhem experiência e possam representar a seleção em outras competições, como a Copa do Mundo de 2018.

- Vou tentar o melhor possível, oferecer a oportunidade a todos os jogadores. Todos não podem jogar ao mesmo tempo. Então, dependerá de como será o jogo, dos resultados. Mas não há prioridade para ninguém. O mais importante é ganhar todos os jogos. Posso fazer mudanças. É uma estrutura importante, podem jogar outros jogadores também. Os que não jogaram também somam experiência. Não tem sentido trocar sete ou oito posições antes do Chile, mas quatro ou cinco, por que não? - afirmou Löw, que já havia confirmado a entrada de Ter Stegen na vaga de Leno no gol dos germânicos.

O treinador elogiou a seleção chilena e exaltou o estilo ofensivo utilizado pelo técnico Juan Pizzi. Para Löw, o confronto promete ser muito complicado.

- O Chile é uma equipe fantástica que sempre busca o campo de ataque. É um time muito flexível, como nenhuma outra seleção no mundo. Eles atacam e defendem com muita intensidade e nos obriga a ter atenção redobrada. O esquema proposto pelo Pizzi é incrível. Os jogadores não guardam posição dentro de campo e isso confunde o adversário que pretende neutralizar o Chile

CHILE VAI A CAMPO SEM BRAVO

O técnico Juan Pizzi confirmou a ausência do goleiro Claudio Bravo, que ainda não se recuperou de lesão na panturrilha esquerda e foi vetado. Johnny Herrera está confirmado como titular, assim como contra Portugal.

- Bravo não está disponível. Sua presença é importante, é o nosso capitão e referência da equipe. Está evoluindo e espero que o tenhamos à disposição o quanto antes - disse Pizzi.

Se não terá Bravo, Pizzi poderá contar com Sánchez contra a Alemanha. O atacante do Arsenal ficou no banco de reservas contra Camarões e entrou somente no segundo tempo, sendo decisivo para a vitória por 2 a 0 com uma assistência e participando ativamente do outro gol.

- Sánchez teve dois dias para se recuperar, mas sempre treinando com os seus companheiros. Os médicos que autorizam os jogadores, como no caso dele. Está disponível.

Pizzi ainda falou sobre a Alemanha, que vem com time diferente em relação aos jogos pelas Eliminatórias para Copa do Mundo.

- É uma equipe muito competitiva, com o estilo das seleções alemãs, com todas as suas facetas, técnica apurada e movimentos táticos flexíveis. Apesar da juventude, segue com a essência de um time que está há 15 anos nos primeiros lugares das competições nas quais disputa. Todos os jogadores estão em alto nível. A diferença contra a Austrália foi mínima no placar, mas não traduziu o que foi o jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos