São Paulo perde do Atlético-PR e fica à beira da zona de rebaixamento

ão foi à toa que a torcida comemorou ainda durante a tarde de quarta-

feira as notícias das chegadas do zagueiro Arboleda, do volante Matheus Jesus e do meia Jonatan Gómez, além da possibilidade de acerto com o volante Matheus Jesus. O atual elenco de Rogério Ceni não inspira confiança, como, mais uma vez, ficou claro na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, nessa noite, em Curitiba.

Não foi um resultado surpreendente, tanto que o Tricolor nunca ganhou no estádio. Mas a trapalhada geral que gerou o gol de Wanderson, logo aos três minutos de jogo, expôs bem a condição de um time confuso.

Outra prova da fragilidade da equipe fica ainda mais clara na tabela do

Campeonato Brasileiro: o São Paulo está há quatro jogos sem vencer e é o primeiro a aparecer fora da zona de rebaixamento, com apenas dois pontos de distância.

Estacionado nos dez pontos, a equipe de Ceni conta com mais um voto de confiança da torcida para aparecer no Morumbi no domingo, quando o time recebe o Fluminense.

Mas o rendimento já não foi, ao menos, eficiente diante de um rival que, até enfrentar o São Paulo, não tinha vencido em casa no Brasileiro. Bom para o Furacão, que iniciou a rodada na zona de rebaixamento e, com a vitória, ultrapassou o próprio Tricolor, chegando a 11 pontos.

É fato que Ceni, ao menos, tenta. Em Curitiba, mais uma vez, recorreu a Lugano em um momento de crise e o escalou como titular. Mas ninguém se salvou na cobrança de escanteio com falha geral, sendo a pior de Militão, que deu a Wanderson duas chances até fazer o gol.

Ao longo do primeiro tempo, o técnico tratou de se aproveitar da postura mais segura do Atlético-PR para se posicionar na frente. Transformou Militão em lateral, trocou o 3-4-3 por uma linha de quatro na defesa e teve Cueva participativo para acionar Thiago Mendes e Junior Tavares. Mas chance mesmo criou Lugano, quase entregando um gol ao Furacão ao deslocar Renan Ribeiro

em uma tentativa de recuo.

Para o segundo tempo, Ceni adotou o 4-2-3-1, com Thiago Mendes como volante e Denilson, que entrou no lugar do inútil Cícero, formando a linha de armação com Marcinho e Cueva. O time ocupou o campo de ataque, mas pouco assustou o goleiro Weverton. Não adiantou Wellington Nem e Brenner entrarem. Não é neste elenco que está a solução.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR 1 X 0 SÃO PAULO

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data-hora: 21/6/2017 - 21h45

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (Fifa-RJ)

Assistentes: Rodrigo F Henrique Correa (Fifa-RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

Público/renda: 21.436 presentes, 19.150 pagantes/R$ 456.090,00

Cartões amarelos: Jonathan e Pablo (CAP); Pratto, Lugano e Wellington Nem (SAO)

Gols: Wanderson 3' 1ºT (1-0)

ATLÉTICO-PR: Weverton, Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Matheus Rossetto (Carlos Alberto - intervalo), Lucho González (Deivid - intervalo), Nikão e Douglas Coutinho; Grafite (Pablo 19' 2ºT). Técnico: Eduardo Baptista

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Éder Militão (Wellington Nem 16' 2ºT), Lugano e Rodrigo Caio; Thiago Mendes, Jucilei, Cícero (Denílson - intervalo) e Junior Tavares; Marcinho, Cueva (Brenner 30' 2ºT) e Pratto. Técnico: Rogério Ceni

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos