Por que o Corinthians perdeu só duas vezes no ano? Quem venceu responde

  • Daniel Vorley/AGIF

    Corinthians perdeu apenas duas partidas no ano: contra S. André e Ferroviária

    Corinthians perdeu apenas duas partidas no ano: contra S. André e Ferroviária

Rogério Ceni, Milton Mendes, Gilson Kleina, Vágner Mancini, Dorival Júnior, Mano Menezes... Todos eles já tentaram, mas nenhum conseguiu vencer o Corinthians nesta temporada.

Apenas dois treinadores alcançaram a missão de superar os comandados de Fábio Carille em 2017: Toninho Cecílio, pelo Santo André, e PC de Oliveira, pela Ferroviária. Mas quais são os segredos? O que explica a invencibilidade superior a três meses do Timão?

O Lance! foi atrás das respostas à pergunta: por que o Corinthians perdeu só duas vezes no ano?

Do reforço à marcação de Fagner às estratégias para aproveitar o desgaste físico do Corinthians, passando por inteligência tática e maneiras de quebrar a confiança dos jogadores adversários, Toninho Cecílio e PC de Oliveira têm ideias diferentes sobre os motivos que levaram Santo André (em 11/2, pela segunda rodada do Paulistão) e Ferroviária (em 19/3, pela nona rodada também do Estadual) a superarem o Timão, que vive uma das dez maiores invencibilidades de sua história.

Derrotado por 2 a 0 e 1 a 0 nestes compromissos, o Corinthians já não perde um jogo há três meses. Em quase um semestre completo são somente duas derrotas. Impressionante? Não para PC de Oliveira.

"Eu acho que o Corinthians respeita o estilo e a história da instituição. É um modelo montado pelo Carille para este elenco, que produz ao máximo. O Corinthians está na frente por ter sido fiel às suas convicções, sem teimosia, sem arrogância e sem troca de direção em função de um ou outro mau resultado. Tenho impressão de que vão seguir neste nível, com altos e baixos, mas sempre nesse modelo de jogo, até o fim do ano", diz o técnico da Seleção Brasileira de futsal e ainda no comando da Ferroviária, acompanhado pelo parceiro, ex-Santo André.

"Vi várias vezes o Corinthians jogar. Acho que a presença do Jadson e a recuperação do Marquinhos Gabriel encorparam o grupo tecnicamente. Também noto um estágio físico muito interessante acompanhado de uma obediência tática na mesma proporção. Só ver que o Jô é um dos mais rápidos do time. Hoje o Corinthians está mais encorpado, e bom notar que com o mesmo sistema tático. Isso é tempo, treinamentos. Gosto muito do Carille, é muito inteligente, capaz e trabalhador", diz Toninho Cecílio, que venceu o Corinthians na Arena, mas foi demitido do Santo André duas semanas depois.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos