Um Fla muito cobrado? Veja os erros e acertos até aqui do Rubro-Negro

Quem é o vilão do Flamengo? Quem é o grande herói? O que tem que ser feito para a equipe deslanchar? Zé Ricardo é o culpado de tudo? Everton Ribeiro foi presente para a torcida para amenizar mais uma eliminação continental? Perguntas, questionamentos, irritação, êxtase...Palavras e dúvidas pairam na cabeça dos flamenguistas nesta temporada de 2017. Do cheirinho de hepta a dramática eliminação na Copa Libertadores, o Rubro-Negro vive um ano atípico. Favorito em todas a competições que entra, para muitos o milionário elenco está devendo na temporada.

Mesmo a conquista do Campeonato Carioca, de forma invicta, não tirou a desconfiança dos flamenguistas e de boa parte da imprensa sobre o trabalho do jovem treinador Zé Ricardo. A cada rodada sua cabeça parece estar sempre a prêmio. Mais quais foram, exatamente, os erros cometidos pelo treinador? Qual a parcela de culpa que a diretoria tem para a equipe ainda não ter deslanchado no início do Brasileiro e por ter sido eliminado tão precocemente na Libertadores. O Lance! resolveu enumerar algumas situações que o Fla vive em 2017 e relembrar outros acertos e erros, que podem ter culminado para um ano ainda de muita desconfiança.

FATOR ZÉ RICARDO

Os números do treinador a frente do time profissional estão longe de ser ruins. Porém, sua inexperiência, para muitos, vem atrapalhando o desempenho da equipe. Escolhas erradas na hora de substituir ou até mesmo de escalar a equipe titular, virou alvo de críticas de todos os rubro-negros nestes primeiros seis meses de trabalho. Outra reclamação constante é a demora do treinador para alterar, seja o sistema de jogo, seja as opções dentro de campo.

SE POR UM LADO: O treinador tem dificuldade para tomar conta do estrelado e milionário elenco do Flamengo, o comandante foi derrotado apenas em quatro jogos em toda a temporada. Na Copa do Brasil, por exemplo, venceu as duas. Na Libertadores, 100% no Maracanã. Campeão Carioca invicto e um revés no Brasileiro. Será que está tão errado a forma como ele conduz suas opções? Não pode esquecer tambpem,

JÁ POR OUTRO: O Flamengo fora do Rio de Janeiro, principalmente, não parece saber se comportar. As quatro derrotas na temporada foram longe do Estado, sem contar as atuações abaixo do esperado. Na Copa Libertadores, três derrotas em três jogos que custaram muito caro para o Rubro-Negro e para sua torcida. O revés no Brasileiro, para o Sport, foi uma das piores atuações nesta temporada. Muito por conta das equivocadas decisões do treinador.

ATLETAS QUESTIONADOS E INTOCÁVEIS?

Não é de hoje, mas algo que vem acontecendo com o Flamengo há muitos anos. Desde os tempos de Jayme de Almeida, em 2013, a torcida pega no pés de alguns atletas considerados contestáveis e sem condições de serem titulares no Rubro-Negro. Entre eles, o nome mais emblemático é o de Márcio Araújo. Ele pode perder a vaga, mas sempre volta como titular. Gabriel, o jogador a mais tempo no elenco flamenguista, também é um que nunca caiu nas graças da torcida. Nomes como Pará, Alex Muralha, por exemplo, dividem opiniões.

SE POR UM LADO: Márcio Araújo pode ser muito criticado pelos torcedores, mas em números, o volante tem sido um dos destaques da equipe desde sua chegada. Ele sempre é um dos maiores ladrões de bola do Campeonato Brasileiro. Neste ano tem um bom desempenho nesse quesito, assim como no ano passado. Em 2014, marcou o gol do título carioca sobre o Vasco, já no fim da partida.

JÁ POR OUTRO: A quantidade de passes errados que Márcio Araújo durante as partidas, se torna o grande termômetro para os torcedores criticarem o volante. Além disso, o jogador abusa também nas pancadas e constantemente é punido com cartões, sejam amarelos ou vermelhos. No ano passado, foi expulso ainda no primeiro tempo no decisivo confronto diante do Palmeiras, no Allianz Parque.

PLANEJAMENTO? CERTO OU ERRADO?

O Flamengo errou no planejamento? É algo a se discutir ainda. Contratações foram feitas. Algumas deram certo, outras não. Berrío é o caso mais clássico. Foram R$ 12 milhões gastos pelo atacante colombiano, que encantou defendendo o Atlético Nacional (COL), em 2016. Porém, o jogador ainda não mostrou para que veio. Poucos gols - apenas dois - e poucas assistências. Grandes partidas ainda está devendo. Agora a bola da vez é Éverton Ribeiro. Porém, para muitos, o jogador chegou apenas para amenizar a crise com a eliminação na Copa Libertadores, mesmo com seu futebol inquestionável.

SE POR UM LADO: Teve o erro com a contratação de Berrío, houve um acerto na lateral-esquerda. Tanto Trauco, quanto Renê, que vieram com baixo custo e baixo salário, estão rendendo o esperado. Rhodolfo acabou de chegar, mas teve um bom destaque na goleada desta quinta-feira sobre a Chapecoense. Éverton Ribeiro foi um alto investimento e ainda não se sabe o que pode render. Porém a chegada dele - e de Geuvânio - são incontestáveis. Se acertar, a diretoria será exaltada. Mas e se não derem certo?

JÁ POR OUTRO: Nem tudo são flores. Além do caso Berrío, o zagueiro argentino Donatti também acabou não rendendo. Em pouco mais de um ano, apenas onze jogos e muitas lesões. Contudo, foi negociado com o Tijuana (MEX) e o investimento, para contratar na época, foi recuperado em parte. Conca é outra incógnita e deixará o clube ao fim da temporada. Outro estrangeiro que tem tido poucas chances é Cuéllar. E o erro da diretoria não está em reforços certos ou errados apenas. E sim, como investe. A má fase de Alex Muralha pede por um novo goleiro. O jovem Thiago, em apenas dois jogos como profissional, já coleciona uma falha. A pressão sobre o garoto é grande e pode atrapalhar, assim como o caso de Vinícius Junior. Zagueiros também ainda falta mais opções de qualidade. É preciso olhar com mais carinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos