Base forte! Com um reforço e mais de 20 garotos, Flu surpreende em 2017

"Base forte!" Essa frase sempre ecoou nos corredores das Laranjeiras, quando o assunto eram os garotos criados em Xerém. O Fluminense sempre colheu frutos com o trabalho feito nas categorias de base, seja financeiramente ou esportivamente. Mas neste ano de 2017, o trabalho realizado em conjunto com o profissional e com os garotos emprestados ao Samorim, da Eslováquia, o Tricolor vai surpreendendo nos primeiros seis meses desta temporada.

Colher frutos não é apenas conquistar títulos. E quem acompanha os jogos do Tricolor neste ano, observa o grande empenho dos garotos e ótimo trabalho do técnico Abel Braga. Afinal, são nada mais, nada menos, do que 24 jogadores oriundos da base compondo o elenco profissional. Alguns ainda jogam nos juniores, mas participam de diversas atividades com Abel Braga. Reforços para 2017? Passaram longe. Uma contratação apenas neste ano, o lateral-direito Lucas, um pedido de Abelão. Do ano passado, em junho, foram contratados os equatorianos Orejuela e Sornoza, ainda na gestão Peter Siemsen, ex-presidente, e quem apostou forte nos seis anos de mandato no projeto de Xerém, com reformas e melhorais das instalações.

E Sornoza e Orejula só chegaram nesta temporada, devido a ótima campanha do seu ex-clube, o Independiente Del Valle, na Copa Libertadores, quando sagraram-se vice-campeões continentais. Se a equipe tivesse sido eliminada pelo Pumas UNAM (MEX), nas quartas de finais, ou pelo Boca Juniors (ARG), nas semifinais, ambos já teriam jogado pelo Tricolor em 2016. Mas não foi isso que aconteceu.

E com problemas financeiros, a dupla poderia nem desembarcar nas Laranjeiras, se não fosse a palavra do presidente do Del Valle, Michel Deller. O acordo foi fechado, com o então presidente Peter Siemsen. Porém, a grande valorização com a campanha na Libertadores poderia ter afetado os valores do negócio. Contudo, Deller não voltou atrás em momento algum e manteve o inicial, facilitando a negociação da dupla.

Unidos a Lucas, os equatorianos foram as únicas caras novas para a temporada. Junto com a garotada que vem dando conta do recado e aparece na 6ª colocação, em nove jogos, do Brasileiro, a frente de milionários elencos e considerados favoritos, como Flamengo, Palmeiras e Atlético-MG.

- O clube chegou a uma marca impressionante de mais de 20 jogadores utilizados esse ano e que foram formados em Xerem. A chegada do Abel e do gerente de futebol, Alexandre Torres, ambos formados na base do Fluminense, e que hoje estão a frente do futebol profissional do clube, foram o pontapé inicial para colocar em prática uma nova ideia de futebol no Fluminense. Também é preciso destacar que esta utilização excessiva de jogadores formados em casa, está ocorrendo também muito em função das fortes restrições orçamentárias que foram impostas ao departamento de futebol. Sabemos que não se faz futebol apenas com jovens. Com atletas da base. Atletas experientes sempre serão fundamentais para qualquer projeto de futebol vencedor - celebra Marcelo Teixeira, gerente de futebol do Tricolor e responsável pelas categorias de base.

O bom desempenho pode ser visto em números. O Tricolor foi finalista do Campeonato Carioca, perdendo a decisão para o Flamengo. Está classificado na Primeira Liga, onde busca o bicampeonato, avançou até às oitavas da Copa Brasil, quando foi eliminado pelo fortíssimo time do Grêmio e ocupa o G-6 do Campeonato Brasileiro. O ataque, é um dos mais positivos do Brasil, com 73 gols marcados em 39 jogos. Além da mescla com os jovens, jogadores que já estavam no elenco começam a deslanchar ao lado da garotada, como Henrique Dourado, autor de 20 gols no ano, e artilheiro do Brasileiro com nove.

- Fluminense seguiu um caminho diferente de todos. Um caminho próprio. Com objetivos definidos e bastante claros que tem como uma das metas criar uma identidade/marca própria de formação e desenvolvimento de atletas dentro do cenário do futebol brasileiro, sul-americano e mundial.

Criamos um Projeto de Plano de Carreira para os atletas formados na base. Criamos um Projeto Internacional. Estabelecemos um projeto de Performance junto com Michael Johnson Performance (que esse ano fomos obrigados a encerrar devido a restrições orçamentárias). Colocamos curso de inglês na base em parceria com a escola de idiomas - comenta Teixeira.

Diante do São Paulo, nesta domingo, no Morumbi, o Fluminense vai encarar mais um time que também aposta forte na base. No elenco paulista, são 12, além de algumas vendas para o exterior, como Luiz Araújo e David Neres. Contudo, já são 14 contratados contra apenas um do Flu.

Se o Tricolor carioca é conhecido como base forte por todo o Brasil, em 2017, o projeto tem sido feito muito bem. Ainda resta a Copa Sul-americana e o Campeonato Brasileiro. Um título para esse garotada, vai ser a coroação de um projeto sólido. A torcida agradece.

VEJA OS ATLETAS NO ELENCO PRINCIPAL ORIUNDOS DE XERÉM

GOLEIROS: Marcos Felipe e Matheus

DEFENSORES: Léo, Reginaldo, Nogueira, Mascarenhas e Frazan?

VOLANTES: Wendel, Douglas, Luiz Fernando e Marlon Freitas

MEIAS: Gustavo Scarpa, Matheus Alessandro, Mateus Norton, Robert e Luquinhas

ATACANTES: Wellington, Marcos Júnior, Peu, Pedro, Marquinhos Calazans, Felipe, Lucas Fernandes e Patrick

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos