Xingado por torcedores, Leco diz entender reação e promete melhorias

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, foi o principal alvo da torcida do São Paulo durante o protesto realizado domingo, no Morumbi, após o empate com o Fluminense. Nesta segunda, o mandatário se manifestou em suas páginas na internet. Ele disse entender a insatisfação da torcida e garantiu que irá trabalhar para que o São Paulo se recupere no Campeonato Brasileiro. Atualmente, o clube soma 12 pontos e está a um da zona de rebaixamento.

- Tenho acompanhado atentamente as reações de vocês. Compreendo a insatisfação, mas tenho certeza de que iremos nos recuperar rapidamente.

Entendo a ansiedade porque o futebol envolve paixão, mas os problemas se resolvem com convicção e trabalho dentro de uma gestão profissional - escreveu Leco.

Depois do tropeço de domingo, mais de cem torcedores expressaram sua revolta contra a má fase do time e apontaram o mandatário como grande responsável. No protesto, foram exibidas diversas faixas, com duas destinadas a ele. Uma dizia "Leco, venda a sua honra, respeita a nossa história", e outra tinha a inscrição "pior presidente da história". Nos cantos, o mais forte destinava palavrões ao dirigente. O protesto foi pacífico, e tanto jogadores quanto a comissão técnica tentaram entender a reação dos torcedores.

O resultado contra o Fluminense fez o São Paulo chegar a cinco jogos sem vitória, igualando a pior sequência do ano. Foram três derrotas, contra Corinthians, Atlético-MG e Atlético-PR, e empates com Sport, além do Flu.

O time teve folga nesta segunda. A reapresentação será na tarde de terça, e o técnico Rogério Ceni terá a semana livre para trabalhar e integrar os reforços Jonatán Gómez, Arboleda e Petros. O próximo compromisso será contra o Flamengo, domingo, às 16h (de Brasília), na Ilha do Urubu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos