Borja estuda craques do BR, e Guerra diz: 'Tem de ver vídeos dele mesmo'

O colombiano Miguel Borja, que ainda tenta se adaptar ao futebol brasileiro, tem aproveitado o tempo livre para ver vídeos de outros jogadores na internet. Recentemente, ele procurou lances de craques do país em que ainda tenta se firmar, e ouviu um conselho do amigo Alejandro Guerra:

- O Borja me falava outro dia que via vídeos de Ronaldo, Ronaldinho. E eu disse a ele que não precisa disso, são bons jogadores, claro, temos que olhar, mas ele tem que ver vídeos do que fez ano passado com o Atlético Nacional. Não tem melhor motivação do que ver a ele mesmo - contou o meia venezuelano, nesta terça-feira.

Guerra e Borja vieram do Atlético Nacional (COL), onde foram campeões da Libertadores no ano passado, mas têm trajetórias bem diferentes no Palmeiras até agora. Guerra é titular absoluto do time e frequentemente é considerado o melhor em campo. São 23 jogos, seis gols e três assistências. Borja é reserva de Willian e, apesar de ter feito sete gols em seus 21 jogos, não conseguiu convencer nem Cuca e nem Eduardo Baptista.

- Não é fácil a adaptação, o futebol brasileiro é muito mais dinâmico, há mais contato entre os jogadores. Posso dizer que a diferença entre o Borja e eu é que tenho um pouco mais de experiência. Miguel necessita só de confiança. E ele tem a confiança do Cuca, dos companheiros, da torcida, da diretoria. Ele está tranquilo, mas sabe que pode dar mais. Ele quer gol, gol, gol, porque um atacante vive de gol. Falei para ele que não precisa ver vídeos de outros jogadores, tem de ver os vídeos dele mesmo. Estou seguro que em pouco tempo ele começará a fazer o que mais gosta, que é gol. Quando fizer gol, ele estará feliz - completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos