Condenado por matar torcedor do Napoli, ultra da Roma tem pena reduzida

Nesta terça-feira, a justiça da Itália reduziu a pena de prisão do ultra Daniele De Santis de 26 para 16 anos. O torcedor da Roma foi condenado pelo assassinato do napolitano Ciro Esposito, então com 34 anos, no dia 3 de maio de 2014, na capital do país.

O assassinato aconteceu antes da final da Copa da Itália daquele ano, no Estádio Olímpico de Roma. Esposito foi baleado na ocasião, ficou hospitalizado por 53 dias e acabou morrendo. O time de Nápoles acabou vencendo a Fiorentina por 3 a 1 e sagrou-se campeão.

De Santis acabou condenado por um tribunal da capital no dia 24 de maio de 2016. No entanto, a Corte de Apelação de Assis reduziu a pena em dez anos, segundo a imprensa local.

Os advogados do criminoso garantiram que a "satisfação é muito parcial", adiantando que vão recorrer ao Supremo Tribunal do país, pedindo absolvição. O cliente alega que agiu em legítima defesa. Já os representantes da família da vítima criticaram duramente a decisão, dizendo que "dez anos de redução para quem mata um menino é um absurdo".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos