Copa e Libertadores x idolatria: o que está em jogo para Diego Souza

  • MARCELLO ZAMBRANA/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

Desejado pelo Palmeiras, Diego Souza tem uma decisão a tomar: ou aceita transferir-se para o atual campeão brasileiro e postulante ao título da Libertadores, ou permanece no Sport, onde é ídolo. Os dois times têm seus pontos para seduzir o meia-atacante. Veja abaixo o que os rivais podem oferecer ao jogador de 32 anos de idade.

Palmeiras: Sequência na Seleção, Libertadores e dinheiro

Depois de a negociação com Richarlison e Fluminense melar, Cuca pediu a contratação de Diego Souza. O técnico quer um centroavante que tenha mais mobilidade, já que Borja não embala - o reforço, portanto, chegaria com boas chances de ser titular. Usar Diego mais avançado é também um trunfo, já que o atleta tem sido convocado por Tite para ser centroavante na Seleção. No Sport, Vanderlei Luxemburgo já disse que irá usá-lo onde o camisa 87 jogou por mais tempo na carreira, no meio-campo.

Campeão paulista pelo Verdão em 2008, Diego tem a chance neste retorno de brigar por um título inédito em seu currículo: da Libertadores. Justamente por conta deste torneio, o Verdão tem pressa em resolver a negociação, já que pode inscrever jogadores para as oitavas de final até a próxima segunda.

Por fim, o Palmeiras pode dar uma valorização financeira ao jogador, que diminuiu seu salário para deixar o Fluminense e voltar ao Sport, em março do ano passado. O Leão da Ilha também precisa de reforços, e o Verdão tem jogadores que pode usar como moeda de troca, assim como havia tentado fazer para levar Richarlison.

Sport: Projeto de vida, idolatria e multa alta

Tanto o presidente Arnaldo Barros quanto o vice executivo e de futebol, Gustavo Dubeux, foram enfáticos ao LANCE! dizendo que Diego não sairá - o contrato é válido até o fim de 2018. Dubeux inclusive conversou com o principal jogador do Leão depois de receber a consulta do Palmeiras. O clube pernambucano aposta na relação criada com o camisa 87 para convencê-lo a não trocar de equipe.

Diego é identificado não só com o clube, mas também com Recife (PE). Feliz na cidade, quando decidiu voltar após apenas três meses no Flu, disse que tomou a decisão por um "projeto de vida" e porque o Sport "não havia saído" dele. Quando acertou o regresso, foi recebido por centenas de torcedores no aeroporto na capital pernambucana.

Os dirigentes consideram Diego "um parceiro do clube", e que ele não se mostra interessado em sair mais uma vez. Embora saiba da necessidade de reforçar o elenco, Dubeux ainda se mostra reticente em envolver Diego nisto. Para o Sport, uma negociação só aconteceria se o jogador estiver realmente disposto a sair, e por um alto valor - segundo Arnaldo, a multa do meia-atacante é "impagável". Por enquanto, ele está escalado para enfrentar o Salgueiro, quarta, pela final do Campeonato Pernambucano. Despedida ou apenas o primeiro título no clube em que é ídolo?

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos