Árbitro de vídeo volta a causar polêmica na decisão do Pernambucano

Após ser questionado na primeira partida da final do Campeonato Pernambucano, o árbitro de vídeo voltou a ser alvo de polêmicas no jogo de volta entre Salgueiro e Sport, em que o Leão venceu por 1 a 0 e garantiu o título. Aos 25 minutos do segundo tempo, Everton aproveitou uma oportunidade na pequena área e mandou a bola para o fundo da rede defendida pelo goleiro Magrão, mas o assistente Emerson Augusto de Carvalho acusou irregularidade no lance. De acordo com o profissional, a bola ultrapassou a linha de fundo logo depois da cobrança de escanteio e o gol foi anulado.

A decisão gerou uma pequena confusão entre os jogadores e a arbitragem, até que o árbitro de vídeo, Péricles Bassols, analisou as imagens e afirmou que a bola saiu pela linha de fundo. O árbitro Wilton Pereira Sampaio consentiu a avaliação e anulou o gol marcado pelo Carcará.

Revoltados, o prefeito de Salgueiro e o presidente do clube, Clebel Cordeiro, afirmaram que o gol foi válido. O dirigente do clube chegou a ameaçar tirar o time do Campeonato Brasileiro Série C, como protesto contra a CBF.

- É muito feio o que a gente viu aqui. É horrível. Eu acho que o Sport não precisa disso. O futebol não precisa disso. Acho que a corrupção está dentro da política e dentro do esporte. O Salgueiro não entra mais em campo pela Série C - afirmou Cordeiro.

No jogo de ida, realizado na Ilha do Retiro, algo parecido aconteceu depois de um pênalti ter sido marcado contra o Sport. O lance aconteceu aos 48 minutos do segundo tempo. De acordo com o árbitro de campo da partida, José Washington, o lateral-direito Raul Prata derrubou o atacante Toty na grande área. Para tensão do Sport, que viu a jogada como algo normal, a determinação da validade do lance por Péricles Bassols favoreceu o Carcará.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos