Cazares marca e Atlético-MG sai na frente do Botafogo na Copa do Brasil

Jogos de mata-mata tem sua própria aura. Heróis são feitos, atletas antes esquecidos se consagram e personagens são criados. Nesse primeiro duelo das quartas de final da Copa do Brasil, entre Atlético-MG e Botafogo, o nome foi Cazares. Com boa participação - e gol - do equatoriano, o Galo venceu por 1 a 0, no Independência, e abriu vantagem no duelo pelas semifinais.

O estilo de jogo dos dois times já definia o panorama no Independência: o Atlético-MG com os seu repertório ofensivo e nomes renomados na frente, como Fred e Robinho. Enquanto isso, o Botafogo acuado, apostando mais na força defensiva do time com Jair Ventura, que exploraria os contra-ataques.

A individualidade do Galo se sobressaiu em cima do esforçado Botafogo, que não soube como conter a ofensividade mineira nos minutos iniciais: logo aos sete minutos, Cazares - um motor e diferencial no meio-campo - recebeu sozinho de Robinho e, sem João Paulo acompanhar e no meio da pesada dupla de zaga alvinegra, abriu o marcador com finalização no canto de Gatito.

Com o gol cedo, o Glorioso tentou sair mais para o jogo. Até reteve a bola, mas sem ser efetivo e incomodar Victor. Na chance que teve, Victor Luís cruzou e Bruno Silva pegou errado, aos 33. O Atlético chegava bem, com Fred - que participou de uma intensa batalha com Carli - desperdiçando umas duas boas chances e Cazares sendo a válvula de escape/velocidade.

Enquanto isso, do outro lado, Camilo mal se fazia presente em campo, com Pimpão preso pelo lado esquerdo e o time estagnado na hora de criar.

Na segunda etapa, os minutos iniciais foram bem parados. Mas o jogo logo animaria. Fred cometeu falta em Lindoso, recebendo o segundo amarelo e sendo expulso. Candidato a vilão? Talvez. A partir daí, foi o Botafogo o dono das ações. Aos 17, Bruno Silva perdeu nova chance sozinho, desta vez dando um corte a mais na jogada e vendo Leonardo Silva salvar a finalização na área.

A equipe de Jair ocupava o setor ofensivo do campo, com a superioridade numérica sendo um diferencial nas ações. Mas faltava maior variações nas jogadas para chegar com real perigo. Victor não trabalhou, com o Atlético-MG fechando as linhas. E foi Gatito quem acabou salvando no final, com defesa espetacular em finalização à queima roupa de Rafael Moura.

Mesmo com um a mais no final, o Botafogo não foi merecedor do empate. A chance de sair com um bom resultado de Minas existia, mas a produção do setor ofensivo foi insuficiente. Para o Atlético-MG, a boa vantagem visando o jogo da volta, no Estádio Nilton Santos, desta vez com o mando alvinegro.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 1 x 0 BOTAFOGO

Data/hora: 29/06/17, às 19h30

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Arbitragem: Dewson Fernando Freitas da Silva - PA (FIFA)

Cartões amarelos: Fred, Rafael Moura e Otero (CAM); Emerson Silva (BOT)

Cartão vermelho: Fred (CAM)

Público e renda: 19.871 pagantes / Renda: R$ 533.386,00

Gols: Cazares (7'/1ºT - 1-0)

ATLÉTICO-MG: Victor, Yago, Leonardo Silva, Gabriel e Fabio Santos; Rafael Carioca, Elias e Cazares (Danilo Barcelos); Luan (Otero), Robinho (Rafael Moura) e Fred - Técnico: Roger Machado

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Emerson, Carli, Emerson Silva e Victor Luís; Rodrigo Lindoso (Fernandes), Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Guilherme); Rodrigo Pimpão e Roger (Vinícius Tanque) - Técnico: Jair Ventura

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos