No Timão, Carille vai de quarta força a único 'sobrevivente' após seis meses

A demissão de Rogério Ceni do comando do São Paulo faz com que o Corinthians de Fábio Carille se torne o único entre os clubes grandes do Estado que não trocou de técnico neste ano. Chamado de "quarta força" por críticos durante a pré-temporada, o Timão foi campeão paulista, disputa a segunda fase da Copa Sul-Americana e ocupa a liderança do Brasileirão com sete pontos a mais que o segundo colocado e ostentando a quinta maior invencibilidade em seus 106 anos de história.

Em 2017, Fábio Carille comandou o Corinthians em 41 partidas, com 25 vitórias, 14 empates e somente duas derrotas. O aproveitamento é de 72,3% dos pontos, somando pré-temporada e competições oficiais. O aproveitamento é superior a todos os técnicos dos clubes rivais na temporada.

No Palmeiras, Eduardo Baptista começou o ano, mas foi demitido com 14 vitórias, quatro empates e cinco derrotas em 23 partidas (aproveitamento de 66,6%), e Cuca entrou no lugar, somando até agora oito vitórias, dois empates e cinco derrotas (57,7% de aproveitamento).

No Santos, Dorival Júnior começou o ano, mas foi demitido com 15 vitórias, quatro empates e oito derrotas em 27 jogos considerando só 2017 (aproveitamento de 60% dos pontos) e Levir Culpi entrou no lugar, somando até agora duas vitórias, dois empates e duas derrotas (44,4% de aproveitamento).

No São Paulo, Rogério Ceni começou o ano, mas foi demitido com 14 vitórias, 13 empates e dez derrotas em 37 partidas (aproveitamento de 49,5% dos pontos que poderia). O substituto do técnico são-paulino ainda não foi escolhido, mas é justamente o ex-santista Dorival Júnior o mais cotado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos