Preparador físico do Flamengo fala sobre condição de jogadores

O preparador físico do Flamengo, Daniel Gonçalves, concedeu uma entrevista ao site oficial do clube e falou sobre a condição de diferentes atletas. Ele ponderou que Everton Ribeiro e Rhodolfo ainda precisam se readaptar ao futebol brasileiro e falou também sobre os casos de Juan e Thiago Santos, que estão em recuperação no Ninho do Urubu.

Confira abaixo parte da entrevista divulgada pelo Flamengo.

Fernando Gonçalves:

Berrío

Está em um processo evolutivo. Como se sabe, ele fez uma temporada bastante satisfatória no Atlético Nacional no ano passado, disputando, em dezembro, o Mundial de Clubes da FIFA. Isso encurtou seu período de férias e, consequentemente, sua recuperação. Portanto, não se pode esperar que o atleta atinja nível de performance na mesma velocidade dos demais. Mesmo com pouco tempo que teve de descanso após o Mundial, ele chegou ao clube na pré-temporada para disputar as competições com o Flamengo. Diante deste cenário, o CEP identificou algumas necessidades imediatas, como melhorar a recuperação do atleta após os jogos e fazer alguns ajustes finos em termos de equilíbrio muscular e biomecânico. Com os treinos específicos, Berrío tem evoluído cada dia mais, desempenhando seu futebol de maneira muito satisfatória, vide a partida contra o Santos. Ele nos confidenciou que no Campeonato Colombiano os jogos não são tão intensos e sucessivos quanto aqui. No Brasil, todos os jogos são de alta dificuldade e complexidade. Isso só valoriza ainda mais a metodologia do CEP.

Thiago Santos

Está em processo final de recuperação pós-lesão, mais precisamente na fase 5. Ele está sendo reincorporado ao grupo gradativamente, já realiza alguns trabalhos, necessitando ainda de um ajuste fino de reequilíbrio muscular e também de algumas ações em relação à potência, às acelerações e à imprevisibilidade. Acreditamos que, cumprindo essas etapas finais, ele estará 100% e à disposição do treinador Zé Ricardo.

Gabriel

Tem treinado juntamente com a equipe. Pelo tempo de inatividade, obviamente ele perdeu condicionamento, um pouco de massa magra, força e potência. Consequentemente, necessitou de um trabalho específico para que as readquirisse. No jogo-treino que ocorreu na semana passada, e durante os treinamentos desta semana, percebeu-se que ele atingiu padrões similares aos de jogo e, por isso, está à disposição do treinador Zé Ricardo.

Juan

O atleta saiu do jogo diante do Santos sentindo dores na região anterior da coxa. Não foi constatada lesão. Ele tem realizado trabalhos específicos, tanto no campo como na academia, e será avaliado no dia a dia, sendo mais exigido no decorrer desta semana.

Everton Ribeiro e Rhodolfo

Os dois vêm de final de temporada, vinham treinando normalmente. É claro que eles ainda necessitam de uma readaptação ao futebol brasileiro, e isso é um processo. O futebol do Qatar não é jogado em tão alta intensidade como no Brasil e nos grandes centros mundiais. O Everton tem conseguido desempenhar em campo, porém necessita de trabalhos específicos de potência e resistência, o que já temos realizado de maneira controlada. Gradativamente, com esses trabalhos e inserções nos jogos, ele deve suportar os noventa minutos. Rhodolfo também têm feito trabalhos especiais de potência. É um atleta de muita força, de uma composição corporal elevada. Ele já tem suportado os noventa minutos, porém necessitamos acelerar seu tempo de recuperação. O fato de um já jogar noventa minutos e outro não, deve-se às ações motoras. Obviamente, os atletas que jogam nas posições laterais do campo, como o Everton Ribeiro, são mais exigidos, enquanto os que atuam nas posições centrais percorrem distâncias menores. Essa diferença é verificada nos jogos e também nos planejamentos de ambos.

Guerrero

Com as avaliações periódicas que temos realizado no CEP, procuramos desenvolver potencialidades e tentar melhorar as deficiências. Com essa sequência de jogos, o atleta muitas vezes perde força e massa muscular, interferindo diretamente nas performances. Portanto, procuramos trabalhar de acordo com as características do Guerrero nos jogos. Ele é um atleta que tem contato com os zagueiros e necessita do arranque curto. Temos feito esses trabalhos de força e potência, com uma periodização adequada aos jogos, e observamos uma melhoria do Guerrero de 2017 em relação ao Guerrero de 2016. Esperamos que ele ainda aumente seu desempenho ao longo da presente temporada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos