Zé Roberto vira atração no Equador e pede Verdão inspirado na Alemanha

A entrevista coletiva de Zé Roberto foi uma atração em Guayaquil. Os jornalistas locais compareceram em número bem acima do comum em situações deste tipo e até aproveitaram para tirar fotos com o veterano. Sintomas da importância que a partida de quarta-feira tem para o Barcelona, que volta a disputar os mata-matas da Libertadores após 13 anos, e do quanto o camisa 11 do Palmeiras é conhecido no Equador.

- Acho que nunca tinha visto tanta gente em uma entrevista dessas fora do Brasil. Quando chega a fase de mata mata, é normal a imprensa local ver a importância da competição e se mobilizar. Todos querem acompanhar e participar. Isso prova a importância do jogo - disse o jogador, que completa 43 anos na quinta-feira e tem um objetivo bem claro em mente:

- Nunca imaginei que ia jogar em alto nível nessa idade, em um clube grande, mas consegui chegar porque sempre tive a profissão como foco. Por isso que atingi marcas. Mas minha motivação é o amor que tenho por jogar futebol. Meu maior objetivo nunca foi alcançar marcas, o objetivo maior sempre foi conquistar títulos. Nesses dois anos consegui ser campeão da Copa do Brasil e do Brasileiro depois de 22 anos (sem o Palmeiras conquistá-lo). Com certeza meu objetivo é conquistar a Libertadores também, que ainda não tenho. Minha motivação é essa - completou.

Ele deu a receita para o Palmeiras sair do jogo de ida com um bom resultado: inspiração na Alemanha campeã da Copa das Confederações:

- Temos que saber sofrer. O maior exemplo para nós é a seleção da Alemanha que jogou a final da Copa das Confederações contra o Chile. O Chile teve a posse da bola em 70% ou 80% do jogo, muitas chances de gol, mas não fez. A Alemanha sofreu muito, mas saiu campeã, ganhou de 1 a 0. Temos que buscar exemplos no futebol, e a forma como jogou a Alemanha é o nosso exemplo para esse jogo - declarou.

Zé Roberto disse que ainda não sabe se começará jogando ou se será reserva, mas a tendência é que inicie entre os suplentes. Ele pode ser uma alternativa para a lateral esquerda, que será ocupada pelo zagueiro Juninho, ou para o meio de campo, setor que provavelmente será composto por Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra - Bruno Henrique corre por fora. O time ainda treina no Estádio Monumental Banco Pichincha, palco do jogo, na noite desta terça.

O provável Palmeiras tem Fernando Prass, Mayke, Mina, Edu Dracena e Juninho; Thiago Santos, Tchê Tchê e Guerra; Róger Guedes, Dudu e Willian.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos