São Paulo se prepara para receber propostas por Rodrigo Caio e Cueva

A janela de transferências ainda deve atrapalhar o São Paulo nesta temporada e a diretoria se prepara para lidar com ofertas a dois nomes: Rodrigo Caio e Cueva. Por enquanto, os dirigentes garantem que nada chegou a nenhum deles, mas já há uma estratégia definida e diferente para cada caso.

O presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e o diretor executivo de futebol Vinicius Pinotti passaram rapidamente pelo gramado do CT da Barra Funda nesta quinta-feira, no período em que a imprensa teve acesso ao treino comandado por Pintado, e disseram que nada chegou por nenhum jogador. Preferiram não dar mais nenhum detalhe.

Mas há uma definição para segurar Rodrigo Caio. O Tricolor só espera perdê-lo se alguém topar pagar a multa rescisória de 18 milhões de euros (quase R$ 68 milhões). Ocorreram sondagens do Zenit, da Rússia, e empresários que disseram representar o clube europeu ouviram que não será aberta nenhuma negociação abaixo disso. Existe a chance, porém, de esse valor ser depositado e o São Paulo não ter o que fazer.

Pesa a favor da permanência de Rodrigo Caio, que tem contrato até 2021, o seu sonho de disputar a Copa do Mundo. O zagueiro deixou claro que só sairá do Brasil para uma equipe em que tenha chances de ser titular e que não saia do radar de Tite para ter oportunidades na Seleção Brasileira. O aumento que recebeu na renovação recentemente também o deixa tranquilo.

Em relação a Cueva, há quem assegure no clube que a decisão é vendê-lo e já foi tomada na semana passada. Ninguém confirma oficialmente, mas membros da comissão técnica trabalham com a ideia de nem contar mais com o peruano. Um empresário prometeu trazer uma oferta de um time turco por ele e, até agora, não apareceu. Existe a expectativa de conseguir 10 milhões de euros (aproximadamente R$ 38 milhões).

A postura diante do camisa 10 é consequência de sua queda de rendimento pouco após ganhar aumento, renovar seu contrato até 2021 e, desde março, nem participar mais de nenhum gol do clube. Pintado tem conversado bastante com ele e é possível que o meia nem seja titular no clássico de domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro.

No primeiro semestre, o clube já vendeu o atacante David Neres, para o Ajax, da Holanda, e o zagueiro Lyanco, ao Torino, da Itália. No mês passado, o volante João Schmidt saiu de graça para Atalanta, da Itália, e foram negociados o zagueiro Maicon com o Galatasaray, da Turquia, e o volante Thiago Mendes e o atacante Luiz Araújo, ambos para o Lille, da França.

O volante Petros, que acaba de sair da Europa, onde atuou por dois anos pelo Betis, da Espanha, deu entrevista coletiva nesta quinta-feira no CT da Barra Funda e comentou sobre os problemas que a janela de transferências está trazendo para o São Paulo.

- Enquanto a temporada brasileira não estiver próxima da europeia, o Brasil vai sofrer. A comparação é absurda, eles são muito mais fortes financeiramente. Não é só no São Paulo. O clube sofre porque é formador, vende muito bem e tem uma das melhores bases do país. Sofre porque não tem como competir financeiramente. Infelizmente, neste momento, somos a equipe mais prejudicada da janela europeia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos