Nasce uma rivalidade! Veja como os jornais registraram o primeiro Dérbi

Imagina escrever uma crônica de um Palmeiras e Corinthians usando palavras como "score", "match", "sphera", "shoot", "kicks" e "teams". Fora de contexto na linguagem atual, elas apareceram com frequência nos jornais de 7 de maio de 1917, um dia depois da disputa do primeiro Dérbi, clássico que completou 100 anos há pouco mais de dois meses - apenas mais dois duelos "centenários" vão acontecer em 2017, ambos pelo Brasileirão (Timão venceu o primeiro por 1 a 0, no Paulistão). O primeiro deles é nesta quarta, no Allianz Parque, palco que colocará em jogos duas invencibilidades em risco: a do Verdão, sem perder há 28 partidas em seus domínios, e a do Timão, há 26 invicto na temporada.

Sem registros de imagens, como ficou documentado o clássico há mais de 100 anos? Os diários da época davam destaque principal para a Primeira Guerra Mundial, mas também registraram o primeiro encontro dos times e o que viria a ser uma das maiores rivalidades.

Prova disso é que os registros apontam um grande número de torcedores no campo da Antarctica e ansiedade pela partida. O recém-nascido Palestra Itália enfrentou o já consagrado Corinthians e levou a melhor por 3 a 0, todos os gols de Caetano. Veja abaixo um resumo das crônicas de cinco jornais do dia 7 de maio de 1917 e também a ficha técnica:

A Gazeta

Jornal destacou a mobilização e a ansiedade dos torcedores no Parque Antartica para a partida. Citou um primeiro tempo equilibrado e com chances para os dois lados e disse que a etapa final estava da mesma maneira até que Caetano, aos 16 minutos, recebeu a "esphera" e "num belo rush desferiu um fortissimo shoot enviazado ao retangulo defendido por Achilles, indo a esphera bater na rede". Foi assim que a publicação descreveu o primeiro gol da história do Dérbi. Cinco minutos, Caetano novamente com um "optimo shoot" marcou o segundo. Classificado como "excellente extrema-direita", o jogador do Palestra Itália fez ainda o terceiro tento no fim da partida. A atuação das equipes foi elogiada, assim como a do árbitro Octavio Bicudo que "agiu a contento geral."

Diario Popular

Na descrição da partida, colocou o primeiro tempo como equilibrado, mas na segunda etapa o Palestra "mais treinado, ou melhor, mais fote consegue dominar o Corinthians". Após o primeiro gol de Caetano, o Correio escreveu o Corinthians com "desasimo após os dois annos de gloria" e creditou a goleada do adversário a falta de "estrella". Há ainda uma comparação com Napoleão Bonaparte: "Napoleão julgava-se invencivel e foi vencido. O mesmo se deu com a valorosa equipe alvi-negra. Parabéns ao Palestra!!!"

Correio Paulistano

Na edição do dia partida, o jornal tratou com entusiasmo o "match" entre Corinthians e Palestra Italia. Disse que o jogo foi esperado com "ansiedade" pela colônia italiana e que a "Antartica será pequena para conter os inumeros torcedores". Os times foram tratados como possíveis "campeões do ano". No dia seguinte ao confronto, escreveu que o primeiro tempo foi equilibrado e exaltou a participação de Caetano, autor dos três gols do Palestra.

Jornal do Commercio

Abriu a crônica da partida pelo público presente na Antarctica com "a mais numerosa talvez vista em São Paulo até hoje. Com todos os elementos a seu favor, um bello dia, a natureza a sorrir, esperançosos ambos, confiantes na victoria, a lucta deveria ser belissima. De facto, assim o foi!". Disse que o árbitro Octavio Bicudo, foi um "veterano player" do Americano e que na etapa inicial os jogadores estavam "nervosos ou infelizes, nunca puderam enviar com firmeza os seus kicks". No segundo tempo o Palestra "ganha terreno aos poucos" até que "aos quinze minutos Caetano vasa o rectangulo defendido por Achilles, pela primeira vez, com formidavel tiro, de longe". Detalhou que o segundo gol do Palestra saiu "as dezessete horas" e que após o tento, "chapeos dos torcedodres voaram". O terceiro gol foi registrado "as dezessete e oito" e Caetano acabou chamado de "monopolizador de pontos".

O Estado de S.Paulo

Colocou o Corinthians como um dos melhores "teams" e afirmou que quem foi ao Antarctica viu um verdadeiro "match". Destacou que o Palestra atacou o adversário nos dez primeiros minutos, porém não conseguindo resultado algum. Depois foi a vez do Corinthians pressionar o "goal" de Flosi, mas no primeiro tempo ninguém abriu o "score". No segundo tempo o jogo mudou de "feição" com Caetano mandando a "esphera" três vezes no gol do adversário.

FICHA TÉCNICA

PALESTRA ITÁLIA 3X0 CORINTHIANS

Data: 6/5/1917 - domingo (tarde)

Competição: Campeonato Paulista, primeiro turno

Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)

?Árbitro: Octavio Bicudo

Gols: Caetano, 18'/2ºT (1-0), Caetano, 25'/2ºT (2-0) e Caetano, 39'/2ºT (3-0)

PALESTRA ITÁLIA: Flosi, Grimaldi, Bianco, Bertolini, Picagli, Fabbi, Ministro, Caetano, Heitor, Orlando e Martinelli. Técnico: Bianco Spartaco Gambini.

CORINTHIANS: Russo, Adelino, Casemiro González, Ciasca, Plínio, César Nunes, Américo, Marconi, Amílcar, Apparício e Neco. Técnico: Amílcar Barbuy.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos