Em casa, Brasil supera Bélgica na terceira semana do Grand Prix

  • Reprodução/Twitter

Mesmo sem apresentar um vôlei consistente, oscilando em bons e maus momentos, a seleção brasileira feminina de vôlei iniciou a luta por uma vaga na Fase Final no Grand Prix com vitória. No ginásio Aecim Tocantins, em Cuiabá (MT), o time verde e amarelo fez 3 sets a 0 (28/26; 25/19 e 25/20) na Bélgica e encara, nesta sexta, às 15h05 (horário de Brasília), a Holanda.

Ainda buscando o time e estilo de jogo ideais para uma equipe que está em reformulação, o técnico José Roberto Guimarães assistiu às jogadoras sofrerem bastante no primeiro set. Precisando de mais do que os 25 pontos para conseguir a vitória, o time apresentava sinais de que seria uma partida tensa.

Mesmo com erros, os dois sets seguintes foram mais tranquilos. O Brasil conseguiu impor mais seu ritmo de jogo e estabelecer uma distância mais confortável em relação às adversárias.

A oposta Tandara foi a maior pontuadora do confronto, com 17 pontos. A ponteira Rosamaria, com 15, a capitã Natália e a central Carol, com 13 cada, também pontuaram bem pela equipe verde e amarela. Pelo lado da Bélgica, a atacante Grobelna foi o destaque, com 16 acertos.

O principal destaque das brasileiras no confronto foi o bloqueio, com 13 pontos do fundamento. As centrais Carol e Adenízia marcaram cinco pontos cada uma de bloqueio.

Maior pontuadora do duelo, Tandara comentou sobre o resultado da partida e importância do jogo na briga pela classificação para Fase Final.

"Foi um jogo importante na nossa busca pela classificação para Fase Final na China e esses três pontos conquistados foram fundamentais. Hoje ainda sentimos um pouco o fuso horário e acredito que vamos jogar melhor contra a Holanda. Esses três pontos foram a recompensa de toda a adversidade que enfrentarmos com fuso horário e cansaço. A torcida nos incentivou durante toda a partida e foi muito bom jogar dentro de casa", comentou a oposta.

O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da atuação do Brasil no duelo contra a Bélgica.

"Estamos mantendo uma média muito boa de bloqueios durante toda a competição. Já o nosso passe e a defesa precisam melhorar. E para evoluirmos nesses fundamentos temos que treinar mais. Foi importante temos vencido e conquistado esses três pontos, mas sabemos que precisamos evoluir em alguns aspectos para enfrentar as melhores seleções do mundo", disse José Roberto Guimarães, que também falou sobre o duelo desta sexta-feira contra a Holanda.

"A Holanda não tem como característica um bloqueio pesado e é uma equipe muito voluntariosa na defesa. Elas estão vivendo um bom momento, já se classificaram para a fase final e estão jogando com velocidade. Além disso, elas têm jogadoras experientes que jogam juntas há algum tempo. É um jogo chave para nossa equipe, pois se ganharmos vamos dar um passo importante para a classificação."

A seleção estreou na terceira fase da competição na sétima colocação, com nove pontos (três vitórias e três resultados negativos). A Sérvia lidera, com 15, seguida pela Holanda, com 15 e um pior saldo de sets, pelos Estados Unidos, com 13, a Itália, com 10, a China, com 10 e o Japão, com 9, mas com um melhor saldo de sets do que as brasileiras. Apenas as cinco melhores equipes avançam para a Fase Final do Grand Prix.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos