Eurico confirma pedido de rescisão feito por Nenê ao Vasco e cita prazo

  • Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Após faltar ao treino do Vasco na última quarta-feira, dia seguinte ao ter pedido para a diretoria do Vasco não viajar a São Paulo para o jogo diante dos donos da casa, Nenê voltou a trabalhar em São Januário com os companheiros na tarde desta quinta-feira. O camisa 10 manifestou para a cúpula do clube o pedido de rescisão de contrato no início da semana, devido a uma iminente proposta de saída. Eurico Miranda, presidente Cruz-Maltino, confirmou a solicitação, disse que não colocará obstáculos e citou que sábado é o prazo para a proposta chegar.

"A situação do Nenê é simples. Pediu a rescisão do contrato com o Vasco. Se aparecer a proposta, rescinde. Se não, tem contrato aqui e suas obrigações. Foi a pedido dele, dizendo que teria uma proposta. Não vamos colocar obstáculo. Acho difícil ele querendo rescindir que possa estar à disposição (para o jogo de domingo, contra o Atlético-MG). Tem que treinar na plenitude. Ele pediu um prazo até sábado para apresentar essa proposta", afirmou Eurico antes de completar sobre chance de Nenê ficar encostado:

"A hipótese do Nenê ficar encostado não existe. Não vamos nos opor a uma rescisão. Mas encostado ele não vai ficar, não tem punição nesse sentido. Poderá ter se depois a conduta dele levar a tomar uma posição, mas em princípio não. Sobre salário alto, tudo é muito relativo. Mas não é interesse nosso em rescisão amigável, não".

O contrato de Nenê, de 35 anos, com o Vasco é até o fim de 2018. Neste Campeonato Brasileiro, o camisa 10 já entrou em campo em 12 partidas, impossibilitando uma transferência para clubes da Série A. O mercado que poderia receber o jogador neste segundo semestre é divisões inferiores do Nacional, além de clubes de fora do Brasil - onde ele é visto com um maior leque de mercado. Esta iminente proposta deve chegar até quinta-feira nas mãos da cúpula do Vasco.

Nenê chegou ao Vasco no início do segundo semestre de 2015 e foi peça importante na briga da equipe contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O time evoluiu, mas não conseguiu evitar a queda. Em 2016 foi principal peça no acesso e neste ano recebeu questionamentos, sendo colocado no banco por opção técnica pela primeira vez pelo técnico Milton Mendes. Com a camisa vascaína, ele entrou em campo no período 110 vezes e fez 40 gols. Vale lembrar que por ter contrato vigente, o Vasco deve autorizar, com acordo de possível pagamento de multa por rescisão contratual.

Nesta temporada, Nenê já havia recebido proposta do Vitória, mas rejeitado. Não é a primeira vez que a possibilidade do meia deixar o Vasco vai a público. Dias antes do Natal em 2016, o jogador admitiu pela primeira vez a chance de deixar o clube. O motivo, na época, seria a distância de seus filhos, já que tinha retornado ao Brasil para ficar mais perto deles, ponto que no Rio de Janeiro não conseguia como gostaria - a família mora na cidade de Jundiaí, interior de São Paulo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos