Folclórico jornalista gaúcho, Paulo Sant'Ana morre aos 78 anos

O jornalismo esportivo do Rio Grande do Sul perdeu uma de suas figuras mais irreverentes. Na noite de quarta-feira, Paulo Sant'Ana não resistiu a uma parada cardíaca e morreu aos 78 anos. Repórter e cronista da RBS TV, o gremista declarado tem seu corpo velado nesta quinta-feira na Arena do Grêmio.

Sua morte foi lamentada pelos dois maiores rivais gaúchos. O Grêmio manifestou-se em nota oficial e nas redes sociais:

"Reconhecido como um dos torcedores mais fervorosos do Grêmio, esteve presente em momentos históricos do Clube, como na conquista do primeiro título da Copa Libertadores da América e do Mundial, em 1983. Neste momento de dor, o Clube se solidariza com os seus familiares e amigos".

O Internacional também se pronunciou com pesar sobre a morte do jornalista:

"Figura marcante da crônica gaúcha, sempre demonstrou respeito ao Clube do Povo, alimentando uma rivalidade saudável no futebol do Rio Grande do Sul. Seus textos e comentários perspicazes, a sua personalidade forte e o humor inteligente farão falta na imprensa. O Internacional se solidariza com a família e os admiradores de Paulo Sant'Ana".

Francisco Paulo Sant'Ana nasceu no dia 15 de junho de 1939 e, antes de ingressar no jornalismo, trabalhou como feirante e até na Polícia Civil, onde foi inspetor e delegado. Seu primeiro contato com a imprensa ocorreu na TV Piratini (afiliada da TV Tupi no Rio Grande Sul), no programa "Conversa na Arquibancada". À época, explicitou seu carinho pelo Grêmio.

Depois, o jornalista passou a trabalhar no "Zero Hora", na Rádio Gaúcha, e teve uma coluna no "Jornal do Almoço", programa do canal RBS TV. Em suas crônicas, Sant'Ana chegou a causar polêmicas nas vezes em que elogiava o Tricolor gaúcho e em algumas provocações ao Internacional.

Em uma das situações inusitadas, chegou a imitar a dança do goleiro Kidiaba, do Mazembe, para brincar com a eliminação do Colorado na semifinal do Mundial de Clubes de 2010. No ano seguinte, Paulo Sant'Ana chegou a pedir ao então presidente da RBS TV sua demissão durante a exibição do programa "Jornal do Almoço", por errar sua previsão da demissão de Paulo Roberto Falcão no Inter:

- Em 16 de abril de 2011, escrevi em minha coluna do "Zero Hora" que Falcão seria demitido em três meses. Foram três meses e dois dias para demissão. Eu estou velho, doente, superado, caduco... Por isto, doutor Nelson Pacheco Sirotski, eu peço. Ponha em meu lugar, doutor Nelson Pacheco Sirotski, um outro comentarista não tão velho, superado e doente, um comentarista menos superado do que eu. Desculpem, telespectadores. Desculpem, RBS, eu não vou errar mais.

Sant'Ana deixa três filhos: Jorge e Fernanda, de seu casamento com Ieda, e Ana Paula, fruto de seu casamento com Inajara. Além disto, uma série de lembranças para torcedores e clubes gaúchos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos