Esposa grávida e obstinação: Edimar diz que recusou Europa por São Paulo

Aos 30 anos de idade, Edimar passou quatro meses no São Paulo até, enfim, estrear nessa quarta-feira, contra o Vasco. O lateral-esquerdo conta que precisou de paciência enquanto Rogério Ceni não o utilizava e diz que chegou a recusar sondagens do exterior por dois motivos: vontade de vingar no Tricolor e a esposa, que está grávida.

- Não é fácil ficar esperando. Tive proposta para voltar à Europa, mas preferi segurar no São Paulo. Fui procurado por amigos que conheço, envolvidos no futebol. Sabendo da minha situação e meu potencial, me sugeriram algumas coisas que não quero falar de onde. Mas preferi continuar pela grandeza do clube e mostrar meu potencial, não vim só para passar pelo São Paulo. O São Paulo é muito grande e, no que depender de mim, vou honrar essa camisa. E tem família, tenho dois filhos e minha esposa está grávida.

Edimar atuou por clubes de Portugal, Espanha, Itália, Romênia e Grécia entre 2008 e 2016, quando foi contratado pelo Cruzeiro. O time mineiro o emprestou ao São Paulo até dezembro e ele chegou a pedido de Ceni, para ser uma alternativa a Júnior Tavares. Mas o ex-técnico não lhe deu nenhuma chance.

- Vim com intuito de poder ajudar o São Paulo e esperava já ter jogado, mas respeito treinador e meu colega que estava jogando. Exercitei a paciência, esperando a oportunidade. Sobre opção do Rogério, isso deve ser questionado a ele. Sempre estive preparado, só tive lesão no início. Espero seguir minha linha de trabalho e ser opção para o Dorival - disse, animado para continuar no time.

- Percebi que ia jogar no treino do Dorival. O filho dele (o auxiliar Lucas Silvestre) me falou para estar tranquilo, porque sou experiente e todos me apoiam. Ele me deu total confiança para jogar. Essa espera que tive não é fácil para nenhum jogador, tive de trabalhar todos os dias, com companheiros e família me dando força e confiando em Deus.

Confira outros temas abordados por Edimar em sua entrevista coletiva nesta sexta-feira:

Saída do Cruzeiro

No Cruzeiro, vim da Europa, fiz 34 jogos na temporada e estava de férias. Quando surgiu o Cruzeiro, acertei contrato, fiz três treinos e fui jogar, e depois tive sequência de 27 jogos. Neste ano, não joguei por opção do treinador, mas aprendi que, no futebol, você precisa ter paciência, perseverança e estar sempre pronto para responder como esperam

Estreia defensiva

Precisa colocar muita coisa em consideração. estava treinando há quatro meses, com ritmo muito diferente do jogo. Neste jogo contra o Vasco, optei por ficar mais pela questão de ritmo de jogo e pelos gols que estávamos tomando. Preferi cadenciar, e peso mais para defender, acredito que, no futebol, é necessário ter quatro na linha defensiva. Mas podem acreditar que o Edimar tem muito a acrescentar ofensivamente.

Clima pós-vitória

Vitória só vem a somar para confiança aumentar, é sempre bom. O São Paulo é gigante, não pode estar nesta situação. Temos consciência disso e que temos um grupo qualificado para sair dessa.

Jogo contra o Grêmio

O São Paulo entra em qualquer jogo para vencer, é grande como o Grêmio. Olhamos para o que podemos fazer, ainda mais em casa, com apoio do torcedor. O Grêmio tem uma grande equipe, uma das sensações, muito difícil de enfrentar, mas temos totais condições de vencer o Grêmio e sairmos dessa situação. O São Paulo é o favorito, por jogar em casa.

Jogo de segunda-feira

Quem decide quando jogamos é a CBF. O que queremos é jogar. E o torcedor é primordial. Quando fazem mobilização, acrescentam para o clube. Esperamos ver o Morumbi lotado, com a torcida apoiando. Com essa força, são o 12º jogador.

Objetivo no Brasileiro

Neste momento, o mais importante é sairmos dessa situação, pelo elenco e clube que tem. Temos de sair dessa situação incômoda e, depois, ir para a parte de cima, onde o São Paulo merece estar.

Grêmio pode surpreender?

Os números de visitante estar sendo melhor do que mandante não significam muito. Se o São Paulo entrar forte como contra o Vasco, certinho, sem dar brecha, temos tudo para vencer o Grêmio. Eles têm uma grande equipe, respeitamos, titulares ou reservas, mas vamos respeitar impondo nosso ritmo de jogo para vencermos.

Espírito do time mudou?

Não consigo jogar futebol sem jogar com vontade, demonstrando que quer vencer. esse é o nosso espírito, só vamos sair dessa situação jogando assim, lutando, guerreando, na raça. Só podemos demonstrar isso para sair dessa situação,. Jogo contra o Vasco será modelo para isso. Antes, estávamos assim, correndo bastante, criando situações. Às vezes, atleta não consegue explicar, mas temos jogadores que correm 11 km, 12 km, o que mostra que queremos sair dessa situação e todos estão imbuídos com esse intuito.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos