Richarlison segue negociando com Ajax e pode se despedir na quarta

Se o Ajax, da Holanda, confirmar a nova oferta nos próximos dias, de cerca de R$ 55 milhões (15 milhões de euros), Richarlison deve se despedir do Fluminense nesta quarta-feira, em Quito, onde o Tricolor enfrenta a Universidad Católica, pela Copa Sul-Americana. O jogador já sabe do interesse dos holandeses, que no início do ano ofereceram R$ 33 milhões (9 milhões de euros), recusados pelo Flu. Agora, a nova oferta deve estar na mesa, até o fim de semana, do presidente, Pedro Abad, para o negócio ser aceito.

Dentro do Fluminense, a saída do jogador já é vista como inevitável. O próprio técnico Abel Braga já foi avisado do possível negócio com a Europa e Richarlison já teria mostrado o interesse em se transferir. O atacante vive a melhor fase de sua carreira e sabe que a oportunidade em atuar em um grande centro do Velho Continente pode dar uma alavancada na sua carreira.

O próprio presidente do Ajax, Uri Coronel, já chegou a entrar em contato com o departamento de futebol do Fluminense e com Abad. Detentor de 50% dos direitos econômicos de Richarlison, a venda do atacante renderia aos cofres do Flu cerca de R$27,5 milhões. Se confirmada a oferta, com a saída de Wellington Silva também, o Tricolor promete encerrar suas vendas e garante seus principais garotos, como Gustavo Scarpa e Wendel, até o fim da temporada.

O lateral-esquerdo Léo, que tinha uma proposta do Genoa, é o único que ainda pode sair e tanto seu empresário, quanto o clube, aguardam o desfecho para sua transferência ou não ao futebol italiano.

Além do Ajax, empresários em nome do Chelsea (ING) sondaram o atacante, mas nada oficial foi concretizado. Inclusive, pessoas ligadas ao clube inglês no Brasil não acreditam nessa possível transferência. Na mídia da Itália, Richarlison também teve seu nome vinculado ao Milan, mas nada de oficial também foi tratado.

A amigos dentro do clube, o jogador confirmou a proposta do Ajax, mas prefere não se manifestar. As partes envolvidas, tanto empresário do atleta, Renato Velasco, quanto o Fluminense, não falam do assunto publicamente. O medo da diretoria e dos agentes do atacante é que a situação fuja do controle como na negociação com o Palmeiras. Naquela época, todas as partes se manifestaram publicamente, mas o negócio não rendeu.

O Palmeiras ofereceu cerca de R$ 40 milhões para ficar com o atacante, que pediu para ser negociado, mas viu a diretoria tricolor rechaçar a ideia, o que criou um mal-estar naquele momento, situação resolvida nos dias seguintes.

Por agora, Richarlison e Fluminense aguardam o novo contato dos holandeses, com os valores assinalados inicialmente, para dar o parecer final. Se acontecer, quarta-feira deve ser mesmo o último jogo do atacante pelo time das Laranjeiras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos