Levir muda time-base de Dorival e pode igualar marca de antecessor

  • Daniel Vorley/AGIF

Há um mês e 11 dias no Santos, Levir Culpi responde a pergunta sobre o time ter sua cara desde a primeira partida. Agora, 12 jogos depois, o técnico pode ter a certeza de que a escalação e o jeito de jogar do Peixe são bem diferentes. Em relação ao time-base montado por seu antecessor, Dorival Júnior, o atual treinador usa cinco peças diferentes e adotou o contra-ataque como principal arma, em vez da maior posse de bola.

Na derrota para o Corinthians, seu último jogo à frente do Santos, Dorival mandou a campo Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Copete; Renato, Thiago Maia e Vladimir Hernández; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Sendo que tinha Zeca na lateral esquerda e Lucas Lima no meio como titulares ideais de suas respectivas posições.

Já Levir Culpi manteve os primeiros quatro titulares que compõe a defesa, mas preferiu Jean Mota na vaga de Zeca. No meio de campo, quando perdeu Renato por lesão, preferiu utilizar Yuri, sendo que Dorival o preferia como zagueiro. Após a venda de Thiago Maia para o Lille, da França, foi a vez de Vecchio, que não era utilizado pelo ex-treinador, a ganhar espaço. Por fim, o ataque ganhou duas mudanças. Copete, que estava na lateral com Júnior, voltou para o ataque no lugar de Vitor Bueno e Kayke foi o escolhido para substituir o lesionado Ricardo Oliveira, enquanto Rodrigão foi negociado com o Bahia.

Além disso, com o novo treinador o clube vendeu Thiago Maia e emprestou Caju ao Lille e promoveu do time B o lateral-esquerdo Orinho.

Na quarta-feira, às 21h45, na Vila Belmiro, Levir terá a primeira prova de fogo à frente do Santos. Recebe o Flamengo em jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil e terá que passar por sua primeira eliminação ou classificação à frente do Peixe. Para isso, precisará vencer por três gols de diferença ou por 2 a 0 para levar a decisão aos pênaltis.

Se não for derrotado, o Peixe de Levir Culpi chegará ao oitavo jogo seguido sem .ser derrotado, mesma marca atingida por Dorival Júnior no ano passado, na arrancada que levou o Alvinegro à segunda colocação do Brasileirão.

O recorde de Dorival Júnior na Vila Belmiro é de 12 partidas sem perder em 2015, em campanha que levou o Santos ao vice da Copa do Brasil, mas não à classificação da Libertadores.

Com estilo e time diferente, Levir Culpi traça um caminho parecido com o do antecessor. O final só será conhecido em dezembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos