Presidente de Federação espanhola é suspenso por um ano

O ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Ángel Villar, foi suspenso por um ano pelo Conselho Superior de Esportes (CSD). O dirigente está preso preventivamente por suposto uso da seleção do país para enriquecimento ilícito.

A punição a Villar - que cabe recurso - foi decidida em reunião do CSD, um dia após o Tribunal Administrativo do Esporte da Espanha abrir expediente disciplinar com o cartola, que comandou a entidade espanhola desde 1988.

A Federação Espanhola vai se reunir nesta quarta-feira em assembleia geral e anunciará o novo presidente. Villar foi detido no dia 18 para ser ouvido pelos agentes por conta de suposta administração desleal, apropriação indébita e falsidade documental em sua gestão. Ex-diretor da Comnebol, o seu filho Gorka também foi preso.

As detenções não ficaram apenas na dupla. O vice-presidente econômico da Federação, Juan Padrón, e o secretário da federação de Tenerife, Ramón Hernández Boussou, estão na lista.

Contra Padrón, o Conselho quer que a entidade espanhola explique 'se pertence a algum órgão de governo e controle'. Caso seja comprovada alguma irregularidade, ele também será punido com um ano de suspensão.

Villar teria criado uma rede de clientes e usou partidas da Fúria para tirar proveito com a empresa de Gorka. O cartola teria usado ainda a Federação para dar benefícios aos presidentes das entidades regionais em troca de apoio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos