Vingadores? Dupla do Santos quer repetir feito de superação com o Fla

  • JALES VALQUER/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Não precisava nem do 2 a 0 no jogo de ida, na Ilha do Urubu, para que o Santos tivesse motivação de sobra para vencer o Flamengo, nesta quarta-feira, às 21h45, na Vila Belmiro, pelo jogo de volta das quartas de final. No que depender de Vanderlei e do técnico Levir Culpi, as memórias da Copa do Brasil serão o suficiente para contagiar o elenco em busca da classificação.

O camisa 1 é quem mais tem o Flamengo entalado na garganta desde 2014. Nas oitavas de final da mesma competição naquele ano, ele defendia o Coxa e defendeu três cobranças na série que definiu a classificação. Mas não foi o suficiente, já que seus companheiros desperdiçaram quatro.

"Foi um jogo atípico. Não só pelos pênaltis, mas tínhamos vencido por 3 a 0 na ida. Na volta levamos três, foi conturbado, o juiz deu dois pênaltis contestados. Fiz três defesas e não conseguimos a classificação. Não ficamos felizes, mas foi bacana ajudar. Espero que dessa vez nem precise e que a gente passe no tempo normal", recorda Vanderlei, em entrevista ao L!, antes de falar especificamente do adversário desta quarta.

"Não tem adversário fácil nessa fase. Fizeram 2 a 0 merecidamente. Temos que jogar mais agora, estamos em um grande momento e teremos a torcida nos apoiando. Teremos chance de reverter essa situação", pontua.

O aproveitamento de Vanderlei em penalidades é favorável: nos últimos seis, defendeu três e viu os batedores desperdiçarem os outros três.

Para Levir Culpi, as lembranças são só as boas. Depois do Flamengo ter passado pelo Coritiba de Vanderlei, encontrou o Atlético-MG do atual treinador santista. No primeiro duelo, no Maracanã, venceu pelo mesmo placar: 2 a 0. Mas na volta...

O Flamengo abriu o placar no Mineirão e a vantagem de três gols. Mas com o embalo da torcida, o Galo empatou no primeiro tempo e fez mais três no segundo. Classificação garantida e uma lembrança que ficará com Levir durante toda a vida.

Tanto ficou que o técnico promete usar nesta quarta, no vestiário da Vila Belmiro.

"O que dá para usar, é que é possível. Mais uma vez estou nessa situação. Uma coincidência que pode se repetir. Me lembro das passagens. O time tem que ter alegria e a torcida do lado. A possibilidade aumenta. Se acontecer, será inesquecível. Que possa se repetir. Será que tenho tanta sorte assim?", diz o treinador.

O Peixe precisa de três gols para avançar. Mas antes, da experiência de quem já encarou de frente o Flamengo e venceu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos