Árbitro admite falta de convicção em pênalti, nega interferência externa e fala em 'injustiça do Santos'

Após ter punição pedida pelo Santos, o árbitro Leandro Pedro Vuaden esclareceu os acontecimentos na partida da última quarta-feira, entre Peixe e Flamengo, na Vila Belmiro, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O juiz, acusado de ter permitido interferência externa na anulação do pênalti marcado a favor do Alvinegro, afirmou que não tinha convicção na hora do lance.

Segundo Vuaden, em entrevista ao canal Sportv, depois de assinalar a penalidade de Réver em Bruno Henrique, preferiu consultar o quarto árbitro, Flávio Rodrigues, pois não tinha certeza do lance. Depois, esclareceu que não conversou com nenhuma outra pessoa que não da arbitragem, conforme acusou o Santos em ofício enviado à CBF.

- Grande injustiça do Santos com o repórter da Globo. O que usei foram recursos na minha disposição. E que fique claro que não houve interferência externa, fico chateado e triste quando as pessoas tentam adicionar coisas e manchar decisão da arbitragem. Venho num deslocamento e há um contato. Não tenho 100% de certeza em assinalar o pênalti. Não estava 100% convicto e tomei a decisão. A partir daí, houve um protesto, e como também estou com a duvida, e o que eu tenho à disposição, por mais distante que esteja e menciono isso, era o quarto árbitro. A distância dele era maior, mas o angulo era melhor do que o meu e o que eu tinha de fazer era buscar informação do quarto arbitro. Ele (quarto árbitro) disse: "estou longe, mas, para mim, é que o jogador pegou só a bola" . E não teve mais nada. Fui lá, anulei a marcação e fiz a marcação do tiro de canto - afirmou ao Sportv.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos