Força física e formação: detalhes do projeto do Corinthians para Pedrinho

Não importa se o Corinthians está jogando bem ou mal, ganhando, perdendo ou empatando, fora ou dentro de casa, já é lei: a torcida pedirá a entrada de Pedrinho. Aos 19 anos, o meia-atacante, que marcou seu primeiro gol como profissional na última quarta-feira, é o maior xodó da Fiel na atualidade, mas alvo de constante preocupação e monitoramento por parte do Timão. Leia-se: diretoria e comissão técnica, que desejam conservar a boa fama e evoluir as qualidades da maior promessa recente da base do clube.

O projeto elaborado pelo Corinthians para desenvolver Pedrinho existe desde o fim do ano passado, quando ele e mais alguns jogadores em fase final de formação no sub-20 realizaram avaliações físicas e fisiológicas com os profissionais da equipe principal. Naquele momento, o clube diagnosticou carências técnicas, físicas e até nutricionais da promessa, que só foi promovida de vez após o título da Copa São Paulo de Juniores em janeiro deste ano, e desde então passa pelo processo evolutivo.

 

- O desgaste é muito grande em uma partida profissional, e ele precisa realmente segurar o rojão os 90 minutos, não só em 15, 20, 30 minutos. O principal é o potencial dele, a qualidade e a competência, mas era necessária uma postura de entendimento após chegar, de ser pouco relacionado às vezes. Trabalhamos para ele evoluir, e ele mostrou paciência para esse momento. Méritos dele - explica, ao LANCE!, o gerente de futebol corintiano, Alessandro Nunes.

 

Pedrinho começou como titular em apenas três partidas do Corinthians, mas já soma 14 pelo clube. Na última delas, fez um dos gols da vitória diante dos colombianos do Patriotas, pela Copa Sul-Americana. Após o jogo, o técnico Fábio Carille pediu paciência para escalar o menino como titular. Os motivos são explicados por Walmir Cruz, preparador físico do Timão e um dos responsáveis diretos pela aplicação do "projeto Pedrinho".

- A gente não pode tirar a principal característica do atleta, que no caso dele é ser um ótimo driblador, ter bom passe, bom chute, não podemos cortar isso dele. As pessoas confundem muito o trabalho de força com fisiculturismo, não vamos colocar um monte de músculo no atleta. A força existe para o atleta ter melhor arranque, movimentação, mudança de direção, saltar mais, esse é o trabalho de força e estabilização que utilizamos na formação. É devagar, sem queimar etapas, porque é um atleta que está ganhando maturidade. Hoje garanto que ele está melhor do que chegou e no fim do ano estará melhor que hoje. Sem pressa, mas quando ele ganhar a titularidade lá na frente posso dizer que terá uma sequência muito boa.

 

Em menos de seis meses, Pedrinho está 4kg mais forte. Também ganhou minutos de jogo - geralmente após os insistentes pedidos da Fiel torcida - e respeito dos adversários. Na visão do técnico Fábio Carille, a hora do camisa 38 está chegando...

 

- Podem ter certeza que ele será um grande jogador do Corinthians e do futebol brasileiro, porque ele tem talento, tem aquelas coisas que não se treina. Ele pensa mais rápido que os outros e tecnicamente já está mostrando o que sabe. Vamos ter um pouco de paciência que em breve ele será titular do Corinthians.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos