São Paulo faz três gols em oito minutos, vira sobre o Bota e sai do Z4

Por um lado, uma grande vitória de virada. Do outro, um apagão que resultou em três gols sofridos em oito minutos. De um jeito ou de outro, Botafogo e São Paulo fizeram um grande jogo no Estádio Nilton Santos, neste sábado. Um emocionante 4 a 3 para o Tricolor.

O primeiro lance de perigo foi aos nove minutos, quando Rodrigo Pimpão mandou de voleio para fora. Mas o jogo era equilibrado.

Aos 17 minutos, Pratto fez jogada pela direita e passou para Cueva. O peruano fez boa jogada, mas contou com a dúvida de João Paulo e Gatito Fernández para completar para o gol, já vazio.

Aí o Botafogo fez a saída de bola, iniciou jogada pela direita, a bola foi parar na esquerda... e o cronômetro marcava 19 minutos quando a bola caiu nos pés de Marcos Vinícius. Chute inapelável, no cantinho. E o jogo estava empatado.

Se não teve o que fazer no primeiro gol, Renan Ribeiro falhou no segundo. Aos 25 minutos, Marcos Vinícius chutou de fora da área e o goleiro tricolor pulou atrasado. Segundo gol do meia, e a virada alvinegra.

Edimar, aos 28, e Marcinho, aos 33, tentaram, mas não deram a melhor direção às respectivas finalizações. Sorte de Carli, que deu bobeira no lance.

A primeira boa chance do estreante Hernandes foi aos 42, também de cabeça. Ele também não conseguiu direcionar da melhor forma, após cruzamento do lateral-esquerdo Edimar.

E a primeira boa criada na segunda etapa foi também do Profeta, aos sete minutos. Chute de esquerda, nas mãos de Gatito.

O São Paulo dominava a posse de bola e teve pênalti marcado após choque de Wellington Nem e Carli. Aos 22, Cueva bateu, Gatito defendeu e, no contra-ataque, a bola girou da esquerda para a direita, Luis Ricardo deu o passe e Guilherme chutou de primeira. Gol do atacante! Ou gol do goleiro?

O Tricolor não aproveitou a grande chance e o Botafogo havia acordado. No ataque contra defesa da reta final, Pimpão tentou, num contragolpe, mas quem fez foi Marcos Guilherme, de cabeça, aos 39: 3 a 2.

Acha que acabou? Hernanes, aos 41, fez um chute virar gol. Empate no jogão. E não havia acabado mesmo! Ainda deu tempo de Cueva lançar Marcos Guilherme e o atacante chutar cruzado. No apagão do Glorioso, virada do Tricolor, que sai do Z4.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 3 X 4 SÃO PAULO

Data-hora: 29/7/2017, às 16h

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)

Assistentes: Bruno Raphael Pires (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)

Cartões amarelos: Petros (SAO)

Cartão vermelho: -

Renda/público: R$ 528.120,00/14.016 pagantes

Gols: Cueva (17'/1ºT 1 - 0), Marcos Vinícius (19'/1ºT 1 - 1 e aos 25'/1ºT 2 - 1), Guilherme (23'/2ºT 3 - 1), Marcos Guilherme (39'/2ºT 3 - 2 e aos 47'/2ºT 3-4) e Hernanes (41'/2ºT 3 - 3).

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Luis Ricardo, Carli, Igor Rabello e Victor Luís (Victor Lindenberg, 31'/2ºT); Rodrigo Lindoso, João Paulo, Matheus Fernandes e Marcos Vinícius (Guilherme, 14'/2ºT); Rodrigo Pimpão e Roger (Brenner, 34'/2ºT) - Técnico: Jair Ventura.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro, Bruno, Rodrigo Cario, Arboleda e Edimar; Jucilei, Petros (Marcos Guilherme, 18'/2ºT) e Hernanes; Marcinho (Wellington Nem, 18'/2ºT), Pratto (Gilberto, 31'/2ºT) e Cueva - Técnico: Dorival Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos