Mattos diz que afastou Felipe Melo para evitar algo pior: 'Não dava mais'

O vazamento da mensagem de voz em que Felipe Melo chama Cuca de covarde, mau caráter e mentiroso fez com que o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, convocasse uma coletiva na manhã desta terça-feira para se manifestar pela primeira vez sobre o afastamento do volante. O dirigente saiu em defesa do treinador e o blindou, dizendo que a decisão de excluir o camisa 30 do elenco - ele treinará em horários alternativos - foi sua.

- Acima de qualquer profissional aqui dentro, precisamos ter ordem, respeito e um ambiente bom. Só aí a gente tem possibilidade de vitórias. O Palmeiras vem em bom momento e precisamos manter a ordem. Após o jogo do Mineirão, o Felipe fez uma situação de desrespeito ao Cuca, muito forte. Eu ia até ficar em Minas até sábado para a missa de sétimo dia do meu pai, só que na quinta eu resolvi voltar, conversei com o Cuca quinta à noite e disse que falaria com o Felipe na sexta. Algumas coisinhas já tinham acontecido, inclusive uma multa naquele episódio com nosso preparador físico. Na sexta eu procurei o Felipe e tive longa conversa, disse que não aceitamos isso de maneira alguma. A decisão foi da diretoria executiva de futebol - disse Mattos.

No sábado, após a vitória por 2 a 0 sobre o Avaí, Cuca disse que a decisão de afastar Felipe Melo foi tomada em consenso entre ele, Alexandre Mattos e o presidente Maurício Galiotte. Justificou dizendo que, em seu time ideal, Felipe Melo não se encaixaria. Na noite de segunda-feira, após o vazamento do áudio, o jogador deu uma entrevista à ESPN Brasil e revelou que "falou alguma coisa contra o Cuca" no vestiário do Mineirão. Este episódio de indisciplina pesou mais do que a parte tática.

- Na quinta à noite eu conversei com o treinador, perguntei se (o afastamento) iria interferir na questão técnica e ele disse que não. Na sexta de manhã eu fui na casa do Felipe, disse que ele cometeu um ato e que não dava mais. Ele veio (para a Academia) e pediu desculpas, mas não havia necessidade de ficar expondo isso. Está exposto agora por causa do áudio - acrescentou Mattos.

De acordo com o dirigente, os episódios de indisciplina envolvendo Felipe Melo vinham se repetindo. O primeiro aconteceu dias depois da chegada de Cuca, quando ele discutiu com o preparador físico Omar Feitosa durante um treino. Na época, ambos foram multados. Mattos ainda disse que vinha tentando "colocar rédea" no jogador, mas não teve sucesso.

- A gente não vai passar absolutamente todo dia aqui e falar: "Hoje tivemos que conversar com o jogador X por um problema com Y". Eu me empenhei bastante, como o Cuca e o próprio Felipe. Para chegar nesse nível, é porque não dá mais a continuidade. O Felipe foi uma grande contratação que infelizmente foi se perdendo no caminho por algumas situações. Aconteceram erros, a gente tentou policiar, conversar, colocar rédea, e aconteceu mais uma vez. Se não toma uma atitude agora, pode acontecer uma coisa pior daqui a pouco, ou não, mas é o que estamos enxergando. Até pela fala, pelo áudio, tudo que aconteceu, o momento é por um novo caminho para que todos fiquem em paz - disse Mattos.

- Discussões normais, querendo vitória, tem todos os dias. Quando passa para uma outra situação, de desrespeito ao ser humano, não aceitamos aqui. Já conversei com o Felipe hoje de manhã. Não tenho o menor arrependimento de tê-lo trazido para o Palmeiras. A gente respeita ele, não é por acaso que jogou Copa do Mundo, que ficou mais de uma década na Europa. Ele vai ser respeitado aqui, ele se desculpou com o grupo, com o treinador, mas vai seguir outro caminho. Isso é uma decisão tomada por mim - finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos