De elogios a críticas: relação entre agente de Pablo e Timão estremece em duas semanas

Há exatamente duas semanas, Fernando César, empresário de Pablo, anunciou o acerto com o Corinthians em relação a tempo de contrato, salário e luvas para o zagueiro de 26 anos permanecer no clube após o fim de seu empréstimo pelo Bordeaux (FRA). No mesmo dia, o agente postou uma foto ao lado da diretoria alvinegra e fez elogios:

"No Corinthians os resultados estão acontecendo porque essa equipe sempre trabalha em prol do clube. Parabéns a todo", escreveu Fernando César, na legenda da foto ao lado do presidente Roberto de Andrade, do diretor de futebol Flávio Adauto e do gerente de futebol Alessandro Nunes, além do próprio Pablo.

Na última terça-feira, no entanto, o empresário anunciou que as negócio estava suspenso. Fernando César alegou que o Corinthians não "conseguiu os recursos ou deu garantias de pagamento para viabilizar a finalização do contrato conforme combinado".

O Corinthians sugeriu dividir as luvas ao longo de todo o contrato, que terá duração de 54 meses, e pagar a comissão (equivalente a 10% de tudo o que Pablo receberá em quatro anos e meio) também ao longo do período, sendo uma parcela por ano. Porém, a ideia do estafe de Pablo era receber os valores durante o mandato do presidente Roberto de Andrade, até fevereiro de 2018, ou ter garantias de pagamento posterior, colocando os valores em carteira de trabalho.

O Corinthians se pronunciou na última quarta, quando o diretor de futebol Flávio Adauto disparou contra Fernando César. O dirigente do Timão falou em ganância do empresário.

- Acho que o empresário pensou nele e esqueceu que tinha trazido um jogador de caráter, um grande profissional, um camarada que tem no Corinthians a maior vitrine da sua vida, que chegou desacreditado, mas soube aproveitar por sua competência. Acho que ganância do dirigente (na verdade, quis dizer empresário) faz algumas coisas não serem concluídas - disparou Flávio Adauto.

Fernando César, por sua vez, disse que não concederá entrevista. A postura dos dirigentes corintianos irritou o empresário, mas Flávio Adauto afirmou que a negociação ainda é reversível.

Enquanto isso, o Bordeaux (FRA) pressiona o Corinthians. O Timão já havia se acertado com o clube francês: pagaria três parcelas de 400 mil euros (R$ 1,4 milhão), sendo a primeira depositada apenas em 2018, e cederia os 15% que ainda tem do atacante Malcom, vendido ao Bordeaux no ano passado.

De elogios a críticas, a novela que parecia perto do fim ainda promete novos capítulos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos