Mais lesões do que gol: a passagem de Wellington Nem pelo São Paulo

"A contratação do Wellington Nem é o marco de um novo momento, o início de uma nova empreitada para a formação de uma equipe forte". A forma como o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, anunciou a chegada do atacante, em 9 de novembro, expõe a frustração com o atleta, que rompeu dois ligamentos do joelho direito e não atuará mais pelo clube.

O jogador de 25 anos foi emprestado sem custos pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, até dezembro. Deve ser operado na próxima semana e passar os últimos meses de contrato apenas se tratando no Reffis. Encerrando uma passagem com mais problemas físicos do que gols.

Wellington Nem não deu nenhuma assistência e fez só um gol pelo clube, na derrota por 3 a 2 para o Corinthians, em 11 de junho, em Itaquera, pelo Campeonato Brasileiro. Por outro lado, a ruptura dos ligamentos cruzado anterior e colateral medial, causada pela queda do zagueiro Joel Carli, do Botafogo, em cima dele no lance em que o árbitro marcou pênalti no sábado, foi a sua quinta lesão na temporada.

O atacante treinou no CT da Barra Funda nas últimas semanas do ano passado, já pensando nesta temporada. Mas sofreu um estiramento no adutor da coxa esquerda logo no primeiro jogo oficial da temporada, na derrota por 4 a 2 para o Audax, em 5 de fevereiro, pelo Campeonato Paulista.

O problema muscular o deixou quase um mês fora, voltando a atuar só em 1º de março, na vitória por 4 a 2 sobre o PSTC, pela Copa do Brasil. Mas, após 46 dias, na derrota por 2 a 0 para o Corinthians, na ida da semifinal do Paulista, em 16 de abril, saiu no primeiro tempo: machucou o joelho esquerdo e passou por artroscopia que o fez ser ausência nas decisões que culminaram em eliminações no Estadual, na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana.

Wellington Nem voltou a entrar em campo apenas em 8 de junho, quase dois meses depois, no triunfo por 2 a 0 sobre o Vitória. Três dias mais tarde, fez seu gol diante do Corinthians. Mas nunca convenceu. No período em que pareceu livre dos problemas físicos, passou a ser um dos principais alvos de vaias e xingamentos da torcida pelo fraco desempenho em campo.

Mas, em julho, teve três lesões diferentes. Não foi relacionado para enfrentar o Santos, em 9 de julho, por conta de uma lombalgia. No jogo seguinte, contra o Atlético-GO, ganhou a confiança de Dorival Júnior, que o defendeu publicamente, e virou titular até sofrer trauma no ombro direito diante do Vasco, em 19 de julho, quando sua substituição foi comemorada como um gol pela torcida no Morumbi.

Wellington Nem ficou fora da rodada seguinte, mas foi reserva contra o Botafogo, no sábado, sofreu o pênalti (que Cueva não converteu) e, mesmo com dores no joelho direito, seguiu em campo. Foram só os últimos minutos de uma passagem bem aquém da expectativa da diretoria, que lembrava do jogador que se destacou no Fluminense campeão brasileiro em 2012 e até à Seleção no começo da década.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos