Reencontro com o fantasma: os perigos da LDU de Hernán Barcos

A Copa Sul-Americana colocará frente a frente, mais uma vez, Fluminense e LDU. Algoz do clube das Laranjeiras nas finais continentais de 2008 e 2009, a equipe equatoriana eliminou o Bolívar, nos pênaltis e avançou para as oitavas de final. Os jogos ainda não têm datas definidas, mas Tricolor já pode começar a analisar o histórico adversário para pôr fim ao fantasma de Casa Blanca.

Desde o último encontro, na final da Copa Sul-Americana, os times mudaram radicalmente. O Fluminense perdeu o apoio financeiro da Unimed e, agora, conta com um time de garotos sob o comando de Abel Braga. A LDU, por sua vez, segue apostando em uma base equatoriana e em alguns sul-americanos.

O principal destaque é Hernán Barcos, velho conhecido da torcida brasileira e da LDU. O Pirata está em sua segunda passagem pela Liga de Quito, e é ídolo por lá. Além disso, é o principal nome da equipe de Gustavo Munúa, sendo o jogador que mais atuou em 2017 - 25 partidas - e mais marcou - 11 gols.

Assim, a LDU joga em função de Hernán Barcos, procurando o centroavante na área. Os laterais John Naváez e Aníbal Chalá vão com frequência à linha de fundo, tanto que o time é um dos que mais cruza na atual edição da Sula.

Além de Barcos, ex-Grêmio e Palmeiras, outro jogador da LDU passou pelo futebol recentemente pelo futebol brasileiro, mas sem o mesmo destaque. Sherman Cárdenas, que defendeu o Atlético-MG, Vitória e Atlético Nacional, da Colômbia, acertou com a Liga em julho e fez sua estreia justamente contra o Bolívar, na quarta-feira. A tendência é que ganhe mais minutos aos poucos.

Confira abaixo o time-base da Liga de Quito, próximo adversário do Tricolor:

EM 2017, APROVEITAMENTO APENAS REGULAR EM CASA

Atuar no Estádio Casa Blanca sempre foi um fator positivo para a LDU, e um pesadelo para os adversários. 2.734 metros acima do nível do mar, o estádio tem capacidade para 41.575 espectadores, e, em torneios mata-mata, se transforma em um verdadeiro caldeirão. Foi assim nos títulos da Libertadores da Sul-Americana, nos quais o time não perdeu nenhum jogo como mandante.

No entanto, o aproveitamento da equipe comandada por Gustavo Munúa é apenas regular. Em 14 jogos na temporada, pelo Campeonato Equatoriano e Copa Sul-Americana, a LDU tem cinco vitórias, sete empates e duas derrotas atuando em casa. São 24 gols marcados e 15 sofridos pela equipe de Quito.

A classificação para as oitavas de final da Sul-Americana foi sofrida. Após uma vitória por 1 a 0 para cada, a decisão contra o Bolívar foi para as penalidades. A LDU, que marcou aos 49 da etapa final, levou a melhor no Casa Blanca: 6 a 5.

Na fase anterior, após um 2 a 2 em Quito, a Liga buscou a vaga fora de casa: vitória por 2 a 1 sobre o Defensor, no Estádio Centenário, em Montevidéu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos