Contra o Barcelona, Palmeiras joga o futuro no ano e sua tranquilidade

Enfim, chegou o dia 9. Depois de perder para o Barcelona (ECU) na partida de ida, o Palmeiras precisa de um triunfo por dois gols de diferença nesta quarta-feira, às 21h45, no Allianz Parque, para chegar nas quartas de finais da Libertadores. É o jogo do ano para o clube.

A partida ganhou tanta importância por dois motivos: primeiro, porque desde o início da temporada a Copa é o maior sonho na Academia de Futebol; segundo, porque tornou-se praticamente a única chance de acabar 2017 com um título.

No Brasileiro, o outro torneio que ainda disputa, o Verdão está a 15 pontos do líder, o Corinthians. Eliminado da Copa do Brasil, a queda nas oitavas da Libertadores, com o Palestra Itália lotado, seria uma frustração imensa para um ano cercado proporcionalmente por tanta expectativa.

Cuca nem usou seus titulares contra o Atlético-PR e foi treiná-los em Atibaia (SP). Caso consiga reverter a desvantagem de Guayaquil, o time se fortalece, mantém vivo seu sonho e solidifica a tranquilidade que o Palmeiras vem esboçando ter desde que o time foi eliminado da Copa do Brasil e decidiu afastar Felipe Melo.

No Brasileiro, tem uma das melhores campanhas nos últimos dez jogos, e vinha de três triunfos seguidos até a derrota para o Furacão. Com a chegada de Deyverson e a recuperação de Moisés, a expectativa é de que o time consiga, enfim, encorpar.

A eliminação, em contrapartida, traria forte pressão sobre Maurício Galiotte, Alexandre Mattos e Cuca. O técnico, que teve um entrevero com o presidente e o diretor de futebol após o afastamento de Felipe, tem repetido que após o dia 9 vem o dia 10, defendendo que o ano segue. Mas um fracasso dificilmente passará sem repercussões.

Além de cobranças sobre os líderes do futebol, chegar em agosto sem chances de ser campeão pode até gerar mudanças no elenco, pois a janela de transferências para saída à Europa segue aberta até o fim do mês. Sem o principal objetivo de 2017, a diretoria já não teria motivos para bloquear qualquer interesse em seus jogadores.

Além disso, será necessário resolver o caso Felipe Melo. Com Cuca, ele não irá trabalhar, mas até agora não houve proposta ao Palmeiras pelo jogador. Times da Espanha e o Inter até sondaram o camisa 30, só que nada evoluiu. Ele por enquanto treina em horários alternativos, esperando o desfecho de sua situação - o contrato com o Verdão é válido até 2019.

A torcida já comprou 36 mil ingressos para o confronto, e a Mancha Alviverde promete montar um mosaico que tomará toda a arena. O palmeirense sabe que o que acontecer no dia 9 vai gerar repercussão no dia 10, 11, 12... para o bem e para o mal.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos