Só um jogador atuando na França levou a Bola de Ouro. Lembra quem?

Desde as categorias de base do Santos, Neymar era tido como uma joia rara, cujo potencial o deixaria com o status de melhor do mundo. Hoje, aos 25 anos, destaque da Seleção Brasileira e principal figurinha do Paris Saint-Germain, o atacante já é considerado um dos principais em atividade.

 

Neymar pavimentou sua trajetória com muitos gols e títulos. Seja no Santos ou, posteriormente, no Barcelona, onde chegou em 2013, o craque acumulou passagens memoráveis. Na Espanha, fez história ao lado de Messi e Suárez, tanto que o poderoso ataque sul-americano foi batizado de trio MSN - autor de 228 gols em 110 partidas, desde 2014 em ação.

 

Contudo, o ciclo da tríada chegou ao fim nesta semana, quando o Barcelona anunciou que Neymar estava com o caminho livre para negociar com o PSG, que pagou a multa rescisória do astro - com valor na casa dos 222 milhões de euros (cerca de R$ 822 milhões).

O que se comenta na imprensa internacional, principalmente, é que Neymar deixou o Barcelona para ser protagonista no PSG, papel que não poderia exercer no Barça por conta do brilhantismo de Messi, camisa 10 e "dono" da equipe blaugrana.

 

Se Neymar renderá conforme o esperado no PSG, não se pode prever. O fato é que, caso esmerilhe nos gramados França afora e conduza o clube parisiense ao tão sonhado título da Liga dos Campeões, possivelmente levantará a almejada Bola de Ouro, o que o tornaria apenas o segundo jogador do futebol francês a atingir o feito.

 

VOCÊ LEMBRA DO PRIMEIRO?

 

O ano era 1991. Na ocasião, o atacante Jean-Pierre Papin, então no Olympique de Marseille, teve a honra de levar a Bola de Ouro, quebrando um jejum desde sempre, ou seja, desde 1956 - ano do primeiro prêmio entregue.

 

Embora seja lembrado por fracassos no Milan e na seleção francesa, sobretudo em Copas do Mundo, Papin, hoje com 53 anos e diretor de futebol do Auxerre, brilhou no Olympique antes de chegar ao clube italiano como a maior transferência (10 milhões de dólares), à época. No maior vencedor da França, foi tetracampeão nacional.

 

Ainda pelo Marseille, Papin foi três vezes artilheiro da Copa dos Campeões, um número superado apenas por Messi e Gerd Müller, maior matador da Ligue 1 por cinco temporadas consecutivas, um recorde. Individualmente, o apogeu chegou mesmo em 91, quando foi reconhecido pelo Velho Continente e levou a Bola de Ouro com mais que o triplo de pontos de Lothar Matthäus, Dejan Savicevic e Darko Pancev, igualados no segundo posto.

 

Também conquistou a Copa da França no Marseille. Papin ainda venceu a Champions com a camisa do Milan, além de títulos nacionais. O Bayern de Munique é outro clube de peso no currículo do antigo centroavante, que, por conta de peculiares voleios, teve gols batizados de "papinadas.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos