Repetição é o segredo: saiba como Corinthians usou período sem jogos

  • Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

"Em time que está ganhando não se mexe". O ditado serve para explicar os trabalhos comandados pelo técnico Fábio Carille nas duas semanas que o Corinthians teve sem jogo. Apesar do tempo livre, o treinador não inventou durante a preparação da equipe. Nos nove dias de atividades até agora, aliás, os jogadores do Timão realizaram quase sempre o que estão mais acostumados a fazer no CT Joaquim Grava: trabalho técnico em campo reduzido.

A comissão técnica preparou as atividades para os jogadores e descartou fazer algum jogo-treino. O foco era, principalmente, dar descanso aos atletas e ao mesmo tempo não perder o ritmo intenso que o líder do Brasileirão tem mostrado nas partidas.

"Não é comum no Brasil ter duas semanas livres e treinar um período só. Normalmente é trabalho em dois períodos ou até três com alguns jogadores. Mas como a gente vem nessa sequência grande de jogos, buscamos aproveitar muito bem o trabalho em um período só", disse o preparador físico Walmir Cruz.

Nesse período sem jogo, os atletas ganharam folga em dois dias, no fim de semana. Com os jogadores mais descansados, o Corinthians encerra nesta sexta-feira a preparação para enfrentar o Vitória, sábado, na Arena. Sem inventar, Carille deve comandar o chamado "treino fantasma", apenas com os titulares e com foco no posicionamento e saídas de bola. A atividade tem início às 10h, no CT Joaquim Grava.

VEJA ABAIXO COMO O CORINTHIANS APROVEITOU AS DUAS SEMANAS:

Segunda-feira (dia 7 de agosto): titulares fizeram regenerativo na academia. Reservas realizaram um trabalho em campo reduzido, e depois treinaram triangulações pelos lados seguidas de finalizações. Carille pediu "intensidade" a todo instante.

Terça (8/8): novamente só os reservas foram a campo. Após um trabalho físico com o preparador Walmir Cruz, jogadores fizeram uma atividade em campo reduzido.

Quarta (9/8): titulares trabalharam no gramado. Na primeira parte, Carille comandou um treino em campo reduzido de 13 contra 13, com até os goleiros trabalhando com os pés. Depois, o treinador deu um coletivo em meio campo, de dez contra dez, e já trabalhando o time considerado titular.

Quinta (10/8): mais uma vez Carille esboçou o time titular em um trabalho em campo reduzido. Foram 11 contra 11, além de um curinga atuando pelas duas equipes.

Sexta (11/8): Carille dividiu jogadores de defesa e ataque. Com os de defesa, separou os titulares e aprimorou o posicionamento, equanto jogadores ofensivos titulares, além de Camacho e Fellipe Bastos, atacavam. Jadson correu em campo.

Sábado e domingo: folga.

Segunda-feira (14/8): grupo foi dividido em dois, e jogadores participaram de um treino para aprimorar as triangulações e transições ofensivas.

Terça (15/8): treino em campo reduzido, com número de toques livre e cobrança por muita intensidade e triangulações rápidas. Jadson trabalhou como curinga.

Quarta (16/8): mais um treino em campo reduzido e com esboço do time titular. Carille pediu atenção e cobrou intensidade, como tem sido costume. Jadson trabalhou normalmente.

Quinta (17/8): na primeira parte do treino, os jogadores de ataque e defesa foram separados. Carille comandou os defensores, enquanto os atletas de ataque realizaram um trabalho de finalizações e cruzamentos orientados por Osmar Loss e Cuca. Após o treino específico, jogadores participaram de um rachão. Depois disso, Carille ainda comandou uma atividade de bolas paradas apenas com os titulares.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos