Léo Santos vive horas de estrela no Timão: da tirada heroica ao assédio

Romero deu lindo passe em profundidade e Jô marcou um gol de oportunismo que definiu a vitória por 1 a 0 diante da Chapecoense, em jogo adiado da 20ª rodada do Brasileirão na noite desta quarta-feira. Além da dupla de atacantes, o Corinthians teve outro destaque na Arena Condá: aos 18 anos, Léo Santos foi responsável por uma tirada heroica em chute de Túlio de Melo aos 36 minutos do segundo tempo, quando Cássio já estava fora do lance e o gol vazio. Em cima da linha, o jovem zagueiro evitou a abertura do placar contrário ao Timão.

Poucas horas após o feito que garantiu o placar em branco antes de Jô anotar o gol da vitória, Léo Santos tomou um susto durante o desembarque da delegação no Aeroporto de Guarulhos. Além de alguns torcedores que marcaram presença para receber o time, havia uma concentração de jornalistas à espera das declarações do jogador, que tem só quatro jogos como profissional e ainda não tem costume de dar entrevistas.

- Pensei que a entrevista que fosse no CT, eu não sabia que era no aeroporto (risos). Mas é tranquilo, estou me acostumando com isso. Foi no susto, mas tem que estar sempre preparado para qualquer ocasião - brincou o camisa 14 do Corinthians, satisfeito pela tirada salvadora que fez seu nome repercutir nas últimas horas.

- Ali foi um lance onde eu tive a percepção que o Cássio saiu para abafar e eu fui feliz na minha leitura em correr em direção ao gol para tirar a bola. Para nós defensores uma tirada em cima da linha é como se fosse um gol e foi muito importante.

Léo Santos foi titular do Corinthians apenas duas vezes. A primeira contra o Figueirense, no Brasileirão do ano passado, e a outra nesta quarta-feira. Além disso, ele participou de partidas contra a Ponte Preta, no Paulistão, quando fez até gol, e diante do Vitória neste Brasileirão. A tendência é que inicie também a partida contra o Atlético-GO neste sábado, pois Balbuena, Pablo e Vilson ainda estão fora. O garoto controla a ansiedade para o novo desafio, novamente ao lado de Pedro Henrique, de 21 anos.

- Temos total apoio do pessoal, o professor Fábio, o Osmar, que era meu treinador na base, todos conversam bastante com a gente. Temos que estar preparados, porque quanto menos esperar a oportunidade vai surgir. Ainda não sei como está a situação do Balbuena, mas agora é procurar descansar, voltar amanhã ao CT e se tiver a oportunidade de jogar sábado estar preparado novamente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos