Goleiro-cantor conta ao LANCE! como concilia o futebol e a música

O mundo do futebol e da música não é só glamour. Milhares de crianças brasileiras crescem com o sonho de brilhar em uma dessas atividades. Seja na bola ou com o microfone na mão. No Rio de Janeiro, Diego Andrade é um desses. Atualmente defendendo o Mesquita na Série B2 do Campeonato Carioca, o jovem de 25 anos, vai conciliando as carreiras de goleiro e cantor do grupo de pagode Somente Hoje, que faz sucesso principalmente na Baixada Fluminense. Ele contou ao LANCE! como faz para ter os dois trabalhos sem um atrapalhar o outro.

- São duas carreiras intensas que necessitam de total atenção e dedicação. O futebol é o carro chefe da minha vida, é meu sonho. Pra conciliar essas duas importantes atividades da minha vida procuro me programar, pego a tabela toda do campeonato, os cronogramas dos treinos e monto uma base de shows que possa se adaptar da melhor forma - explica Diego, que foi eleito o melhor jogador da Série C do Campeonato Carioca no ano passado, quando defendeu o São Gonçalo:

- Ano passado foi um ano muito feliz na minha carreira. Fui campeão da Série C com o São Gonçalo E.C, goleiro menos vazado e eleito o melhor atleta da competição. Esse ano fiz a escolha de atuar pelo Mesquita e já fomos campeões do primeiro turno, estamos agora nas semifinais do campeonato a uma vitória do acesso, isso só vem reforçando o bom trabalho e toda dedicação.

A primeira divisão não é um sonho distante na carreira do goleiro-cantor. Ele já venceu a Taça Rio em 2014, quando defendia o Boavista. Na ocasião, ele estava no banco de reservas de Getúlio Vargas, que foi revelado pelo Flamengo e atualmente trabalha como comentarista esportivo.

- Jogar uma primeira divisão é um desejo enorme que eu tenho e vem se aproximando cada vez mais. Em 2014, fui campeão da Taça Rio da primeira divisão pelo Boavista no banco do Getúlio Vargas, tenho trabalhado muito pra disputar esse campeonato como titular ano que vem - disse.

FUTEBOL É A PRIORIDADE

Diego não esconde que se tivesse que escolher, não pestanejaria em decidir pelo futebol. No entanto, a música, além de também ser uma paixão, é uma forma de completar a renda do goleiro. Como o calendário das equipe de menor investimento não é dura uma temporada completa, ele explica porque leva a vida dupla:

- Sei que não é possível ser super bem sucedido nas duas profissões simultaneamente. O Futebol é o lugar onde tem a minha prioridade é deposito minhas fichas porém é algo inconstante e muitas das vezes o calendário não ajuda a trabalhar os 12 meses do ano.

Diego é vocalista do Somente Hoje, grupo de pagode que faz sucesso principalmente em Nova Iguaçu, mas também toca em outros lugares da Baixada Fluminense e do Rio de Janeiro. Questionado sobre as emoções de jogar e cantar, o goleiro-cantor explica:

- É incrível estar em cima do palco, cantando, me divertindo e levando a alegria a todos os amigos e fãs que curtem o Somente Hoje, a galera tem sido fundamental marcando presença, é incrível cantar pras pessoas que gostam do seu trabalho, sensação maravilhosa cantar pra mais de 5 mil pessoas como em alguns shows que a gente faz. Mas, sinceramente nada substitui entrar em campo, pegar um pênalti, ganhar um jogo, fazer uma defesa difícil, ganhar um jogo difícil, conquistar títulos no futebol. Cantar me acalma, mas jogar me dá a Adrenalina que eu gosto!

BATE-BOLA

Diego Andrade

Goleiro do Mesquita e Vocalista do Somente Hoje

1. Você vê o Mesquita preparado para garantir o acesso? Como está a preparação para a semifinal?

A preparação pra esse jogo do acesso tá sendo muito bem plenejada e executada pela comissão técnica. O treinador de Goleiros Daniel Dias tá fazendo um trabalho comigo todo especial pra esse jogo. Vejo o Mesquita pronto pra fazer uma excelente partida.

2. A vida de jogador de futebol não é fácil. Quase todos os jogadores de equipes de menor investimento tem uma outra profissão. A música foi uma forma de fazer duas coisas que você gostava e ainda assim ter uma renda extra? Quantos companheiros seu no Mesquita também tem outras profissões?

Nos times de menor investimento no RJ é comum o jogador ter outra profissão. 80% do nosso time tem outra profissão ou pelo menos uma renda adicional. Essa realidade atinge grande parte dos jogadores. A música era um Hobby e hoje se tornou algo que me gera uma boa renda e algo que levo com muita seriedade e profissionalismo, paga muita conta na minha casa e é algo que faço com grande atenção e responsabilidade.

3. Como a música e o futebol entraram na sua vida? São duas paixões de infância?

Exatamente, duas paixões de infância. O Futebol começou bem cedo no futsal do IBC. De lá fui convidado pra ir pro Fluminense FC onde fiz minha base e dps sai pra outros clubes onde atuei profissionalmente. Meu avô sempre foi.keu grande incentivador.

A Música sempre foi presente, meu Padrinho sempre reunia a família pra tocar violão e fazer saraus, tomei gosto. Ele foi fundamental nesse área. Nos aniversário dos amigos começamos a tocar e fomos sendo convidados pra outras festas, até chegar nas casas de shows.

4. Como é a rotina de um jogador-cantor? Treino, ensaio, show, jogo... Dá pra descansar?

Rotina extremamente regrada e árdua. Treino todos os dias e isso requer uma excelente alimentação e horas de sono bem dormidas. Me programo pra que essas duas valências, alimentação e sono sejam sempre prioridade. Treino de manhã, descanso de tarde, ensaio ou faço shows a noite e durmo após. Os jogos geralmente são de tarde, isso possibilita um descanso ainda maior. Essa correria não é só minha, no meu time tem jogador que é dono de lanchonete, professor de Ed Física entre outros, acho que é super possível conciliar. De acordo com a tabela procuro não fazer shows em véspera de jogos, pois geralmente estamos na concentração.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos