Fagner, antes do clássico: 'Criamos a nossa pressão e temos de saber lidar'

A diminuição da vantagem em relação ao Grêmio na ponta da tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e principalmente a iminência do confronto diante do Santos, que é outro perseguidor direto, ampliaram a pressão do Corinthians, que foi derrotado em dois dos três jogos do segundo turno e vive uma realidade de afirmação. No elenco desde 2014, o lateral-direito Fagner já viveu momentos assim, e sabe que só o Timão pode afastar as contestações externas para seguir em alta na competição.

- A pressão existe sempre. Você está num Brasileiro onde vira e mexe acontece de os times de baixo vencerem os de cima, mudanças de favorito no meio do campeonato... Nós criamos essa pressão para nós em relação à vantagem e temos que saber lidar com ela. Independente de resultado do sábado (quando o Grêmio joga) temos que estar preocupados com nosso jogo no domingo. Disseram muita coisa de que já tinha terminado o campeonato, mas sempre tivemos a consciência de que não. Não está nada ruim e tem muita coisa pela frente, então temos que ter tranquilidade porque somos uma equipe madura, que sabe o que acontece e está tranquila, trabalhando normal - argumentou Fagner, que ignora o fato de o Grêmio jogar primeiro, no sábado, e com possibilidade de diminuir para quatro pontos a vantagem dos líderes.

- Para nós não vai mudar nada, até porque o que temos que fazer é nosso trabalho, esquecer o que tem antes ou depois e sim fazer nosso trabalho. Tem muito jogo ainda.

Fagner ficou a serviço da Seleção Brasileira nas duas últimas semanas, mas não entrou em campo contra Equador e Colômbia pelas Eliminatórias da Copa do Mundo e retornou ao Corinthians em boas condições físicas para a sequência do Brasileirão. Ele volta ao time titular neste domingo, às 16h, contra o Santos, na Vila Belmiro. O lateral-direito espera um jogo de igual para igual.

- O Santos é uma equipe sólida, que aposta muito na velocidade dos seus atacantes, principalmente para puxar contra-ataques, tem um jogador que arma o jogo, que tem bom passe, que é o Lucas (Lima). Então temos que tomar cuidado para não sermos surpreendidos, principalmente no começo do jogo. Temos que tirar a velocidade da equipe deles. Nos primeiros 15, 20 minutos, eles tentam pressionar... Isso é uma coisa que eu acho que o Santos vá fazer, não nos foi passado nada em termos de estratégia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos