Criticado por atuações da Ponte, Kleina dispara: 'Ninguém está satisfeito com essa situação'

Gilson Kleina vem atravessando uma fase difícil na Ponte Preta. Criticado pela torcida, o técnico se apegava ao empate em 2 a 2 com o São Paulo para respirar, mas voltou a se afogar após a derrota por 3 a 1 para o Sport, pela Copa Sul-Americana. Com o cargo em perigo, Kleina precisa garantir um bom resultado contra o Atlético-GO para seguir no cargo.

- A gente é que nem diamante, lapidado na pressão. Espero que no final essa equipe vire uma pedra preciosa - afirmou o treinador em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira.

Com apenas uma vitória nos últimos sete jogos do Campeonato Brasileiro, a torcida tem se manifestado contra a permanência do técnico. Até a diretoria do clube divide opiniões sobre o trabalho realizado por Gilson Kleina. Ciente das críticas, o profissional tenta extrair algo positivo nas cobranças para trabalhar em busca de bons resultados para permanecer no cargo.

- Dizer que é confortável, claro que não. Também sou ser humano, mas sabe que no futebol é assim. Tem de ter convicção. Isso não muda nada daquilo do que a gente pensa. As críticas ajudam no crescimento e podem ser construtivas. Se eu não acreditar no trabalho, aí estou realmente derrotado. Ninguém está satisfeito com essa situação. É trabalhar para melhorar - explicou.

Apesar da má fase na Macaca, Gilson Kleina está sendo observado à distância pela Chapecoense para ocupar a vaga de Vinicius Eutrópio, que foi demitido recentemente. O técnico afirmou que não recebeu nenhuma proposta oficial, mas garantiu que só deixa o comando da Ponte se a diretoria optar por demiti-lo.

- Fiquei sabendo que foi colocado meu nome, mas estou comprometido com a Ponte. Só saio daqui se a Ponte Preta não quiser mais meu trabalho. Vou ser profissional até o fim. Agradeço ser lembrado por uma equipe que está em ascensão, mas estou focado nesse jogo. Quero continuar não só para fazer um bom trabalho, mas me perpetuar na história - comentou.

Questionado sobre o clima de tensão que cerca os treinos e demais trabalhos da delegação da Ponte Preta, Kleina demonstrou tamanha insatisfação.

- Quem comenta isso não vive o dia a dia e coloca uma informação equivocada. Se eu sentir um dia que não tenho ambiente de chegar no vestiário e olhar nos olhos dos jogadores... Pode ter certeza que estão mexendo com uma pessoa que tem hombridade. Não vim aqui para disfarçar ou passar o tempo. A gente fica chateado, porque quem faz isso está tentando jogar o torcedor contra nós - finalizou.

O próximo compromisso da Macaca é neste sábado, quando a equipe recebe o Atlético-GO às 21h em jogo válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em seguida, a equipe volta aos gramados para pegar o Sport, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana, que será realizado na quarta-feira (20).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos