'Aqueles 10%': Deyverson diz que está quase totalmente adaptado ao Brasil

  • Ale Cabral/AGIF

    Deyverson durante a vitória do Palmeiras sobre o Coritiba

    Deyverson durante a vitória do Palmeiras sobre o Coritiba

Aos 26 anos, Deyverson chegou ao Palmeiras há dois meses, após construir toda a sua carreira na Europa, atuando por times de Portugal, Alemanha e Espanha. E o atacante avisa que falta muito pouco para estar completamente adaptado ao futebol brasileiro, de quem se diz ainda mais fã.

"O futebol brasileiro está me surpreendendo. Eu via pela televisão, nunca tinha recebido a oportunidade de jogar no Brasil, estou realizando um sonho. Vejo que é um futebol dinâmico, como gosto, de lutar, brigar. Estou me adaptando pouco a pouco. Faltam 10% para eu me adaptar totalmente", avisou o camisa 16.

Em campo, ele já está bem mais à vontade. Após ouvir críticas por não ter batido pênalti contra o Barcelona do Equador, na eliminação do time na Libertadores, e perder uma cobrança no empate diante do Atlético-MG, na rodada passada, Deyverson teve na vitória sobre o Coritiba, nessa segunda-feira, uma de suas melhores atuações pelo clube. Mesmo sem balançar as redes nem participar do gol de Jean no triunfo por 1 a 0.

"Ouvi falarem que foi o meu melhor jogo. Mas, se foi, foi o melhor jogo do Palmeiras, porque não jogo sozinho. Para eu poder jogar bem, dependo dos meus companheiros. Estou muito feliz por escutar que foi meu melhor jogo, mas o que importa é o Palmeiras", falou Deyverson, ativo em grande parte das jogadas ofensivas da equipe no Pacaembu.

"Independentemente de quem faça o gol, o importante é o Palmeiras ganhar. Todos saem felizes, com a cabeça erguida quando isso acontece. E sabemos que temos grandes jogos pela frente, podemos somar muitos pontos para lutar pelo título ainda", prosseguiu Deyverson.

A possibilidade de sonhar com o título brasileiro, mesmo a 13 pontos do líder e arquirrival Corinthians, com 14 rodadas a serem disputadas, é prova de uma mudança de patamar na carreira de Deyverson. Antes do Palmeiras, ele passou por times como Benfica B e Belenenses, em Portugal, Colônia, da Alemanha, e Levante e Alavés, na Espanha. Mas o atacante garante que a cobrança não assusta.

"A cobrança vem com o decorrer dos jogos, mas é igual lá fora e aqui. Todo clube quer ganhar, ninguém quer perder. Cobrança é algo normal dentro do futebol", minimizou Deyverson.

 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos