Conselho Fiscal do Santos prevê déficit de R$ 31,5 milhões no ano

O Conselho Fiscal do Santos entregou o relatório contábil referente ao último semestre e orçamentário para o restante do ano. Mesmo com a arrecadação da venda de Thiago Maia para o Lille (FRA) e com os recebíveis da negociação de Neymar, o órgão apontou que o clube deve fechar o ano com um déficit de R$ 31,5 milhões.

Os principais gastos para o débito negativo são acordos judiciais e folha salarial do futebol e de funcionários.

As arrecadações são: R$ 37 milhões com a venda de Thiago Maia, R$ 8 milhões pela indicação de Neymar ao prêmio de Melhor Jogador do Mundo, R$ 33 milhões do mecanismo de solidariedade referente ao fato do Santos ter sido o clube formador do atacante e R$ 17 milhões, também a ser pago pelo Barcelona (ESP), pela não realização do amistoso entre as duas equipes devido a saída do atacante do clube espanhol para o PSG (FRA).

Até 30 de junho, os gastos mensais com o administrativo eram de R$ 2.299.957,71. Com o atletas profissionalizados da base, Santos B e feminino, os gastos mensais são de R$ 619,318,04. A maior despesa mensal está no futebol profissional: R$ 4.469.589,80. R$ 244.360,32 são gastos com autônomos que prestam serviços ao clube.

Em rescisões contratuais, só com a saída da comissão técnica de Dorival Júnior, a despesa foi de R$ 4.447.656,06. Dívidas com Robinho chegam a R$ 3.298.009,76 e foram pagam no período do primeiro semestre de 2017.

O total do déficit do primeiro semestre totaliza R$ 43.494.056,00. Ao fim do relatório, o Conselho Fiscal sugere contensão de despesas para que não seja cometida infração estatutária.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos